Archive for the ‘Roubos e Assaltos’ Category

Roubos e furtos de moto crescem 3,5% em 2013

quinta-feira, outubro 17th, 2013

17-10-2013-1

Colega motoqueiro, no último fim de semana um vídeo ganhou a internet. Era de alguém indo para o Salão Duas Rodas numa Hornet (a moto média mais roubada do país) e filmando o trajeto quando é abordado por dois assaltantes.

O piloto desce da moto e entrega a chave, porém um policial estava passando pelo local do crime e conseguiu balear o ladrão e recuperar a moto do proprietário. O vídeo viralizou  e levantou inúmeras questões.

Nosso objetivo não é falar da ação do policial, da cobertura da mídia nem da repercussão da internet. Vamos tocar em outro ponto: o assalto de motos. Assalto pode ser basicamente furto ou roubo.

O primeiro é quando o assaltante não aborda diretamente o assaltado. Por exemplo, você estaciona sua moto e ela não está mais lá quando você volta: foi furtada. O segundo é como ocorre no vídeo, o assaltante aborda o assaltado com grave ameaça (no caso, uma arma de fogo e intimidação verbal) e leva o objeto assaltado.

Acontece que assalto de motos cresceu, segundo o Grupo Tracker, empresa especializada em recuperação de veículos, 3,5% nos primeiros três trimestres de 2013 se comparado ao mesmo período de 2012. A empresa afirma que motos com rastreador são mais facilmente encontradas.

Apesar do número alto para motos, outros veículos sofrem ainda mais com a crise da segurança. Em automóveis, os assaltos cresceram 7,8%; para utilitários, 12,1% e caminhões, 22,8%.

A questão de segurança pública é muito grave e delicada. E prudência é fundamental (mesmo sendo inevitável a abordagem, por vezes) e rastreadores ajudam muito. Não reagir a uma abordagem é necessário, sua vida vale mais que seu bem.

E por falar em prudência e vida, não vi nenhum comentário sobre o tal vídeo dizendo que a vítima estava a quase 100 km/h numa via pública onde o limite é 60 km/h…

Motociclistas têm aptidão pra bandidagem?

quinta-feira, março 21st, 2013

21-03-2013-1

Motoqueiros e motoqueiras, segurem-se nas cadeiras. Uma lei “genial” que governador Geraldo Alckmin sancionou em SP proíbe a entrada de pessoas com capacete em estabelecimentos comerciais públicos ou privados. Releiam, é sério.

De autoria do deputado José Bittencourt (PSD), a justificativa para tal lei é de que muitos atos de violência (roubos e homicídios) foram e são cometidos por bandidos usando capacete para encobrir o rosto. Mas não pensem que isso é uma medida de segurança, é só mais uma lei preconceituosa contra os motociclistas, como se todos que usam capacetes fossem cometer algum tipo de crime.

Vou esclarecer a parte mais “incrível” dessa lei. Ao entrar em postos de gasolina, a lei prevê que o motociclista (não o bandido, mesmo que o texto do deputado não deixa clara a diferença entre os dois) deve parar a moto na calçada, antes da faixa amarela do estabelecimento, retirar o capacete e só depois entrar no posto. Entendeu?

Pense que seguro: você, motoqueiro, para sua moto na calçada e um motorista desatento e/ou embriagado e/ou ao celular não vê seu veículo ali? Cena nada rara em São Paulo. Se andando a pé já somos surpreendidos por motoristas que acreditam que postos de gasolina são boxes de autódromo, imagine se estivermos parados tirando o capacete. A culpa do acidente é de quem? Do motoqueiro parado ali? Ou do deputado autor dessa lei e do governador que a sancionou?

Ou mais bizarro. Já imaginou um bandido disposto a assaltar um posto de gasolina, um caixa eletrônico ou um supermercado preocupado em cumprir a lei e, por isso, ir de rosto descoberto?

A questão aqui é a velha incompetência das nossas autoridades em resolver problemas e pra isso querem combater a consequência e não a causa. Já que a maioria dos assaltos a postos de gasolina nos últimos anos foram feitos por bandidos em motos e de capacete, nada mais “justo e inteligente” que proibir o capacete nesses ambientes. Sabe aquela velha história do cara que pega a esposa com outro no sofá e vende o sofá? Então…

O que motiva um roubo não é usar ou não um capacete, mas a vertiginosa desigualdade social somada à sensação de impunidade e incompetência do poder público. Não importa se se está numa moto, num carro, numa van, na Assembleia Legislativa, no Palácio dos Bandeirantes, num micro-ônibus ou numa nave espacial. Esse é só o MEIO para realizar o crime, não o crime em si.

E vai aparecer o deputado José Bittencourt do PSD dizendo que a lei não é preconceituosa porque ele mesmo criou, em 2009, a Lei 13.486 instituindo o “Dia de Combate à Discriminação de Qualquer Natureza”, portanto acusa-lo de discriminatório agora é um erro. Será que nesse dia, ao menos, o grande deputado vai olhar para os motoqueiros como motoqueiros ou como “bandidos de capacete em potencial”? É discriminação de qualquer natureza, nem vou entrar nas mais enraizadas da nossa sociedade para não complicar o ilustríssimo representante dos cidadãos paulistas.

Cuidado então, colega motoqueiro, quando decidir andar em grupo com outros colegas, eles também podem ser algum “bandido em potencial”.

Até a próxima.

Falta de combustível pode queimar a injeção?

segunda-feira, março 9th, 2009

Muitas dúvidas ainda rondam o sistema de injeção eletrônica das motos. Dentre estas dúvidas surgiu uma dúvida interessante: Falta de combustível pode queimar a injeção?Ou seja, se a moto consumir todo o combustível até parar pode queimar o sistema ou sensor da injeção eletrônica?

A resposta é não!

O grande problema está na bomba de combustível que, se trabalhar à seco, pode ser danificada à ponto de não manter a pressão que o sistema de injeção necessita.

Em algumas motos carburadas que também possuem bomba de combustível, como é o caso da Honda Shadow 600, a falta de combustível também pode danificar a bomba

Fonte: Revista Duas Rodas

Segurança básica

quinta-feira, fevereiro 5th, 2009

Algumas dicas de segurança básica.

Ande sempre equipado: proteção para os olhos, mãos, pés, tornozelos, joelhos e cotovelos, sem falar no capacete.

Farol aceso o tempo todo, seja dia ou noite: A 40 metros de distância a motocicleta pode sumir do campo visual do motorista, até mesmo atrás do tercinho pendurado dentro do carro. O farol da moto aceso ajuda a tronálo mais visível.

Concentração é fundamental: Sempre esteja atento, a pressa, o nervosismo, o cansaço e o álcool atrapalham a concentração. Se está pilotando se concentre nisso e esqueça do resto.

Pilote de forma defensiva: Dirija por você e pelos outros, tente antecipar-se em relação aos erros alheios e demais riscos.

Desenvolva o autocontrole: Adrenalina é legal, mas tem seu lugar certo, como um circuito próprio para altas velocidades.

Identifique as armadilhas do solo: Piso molhado, areia solta, buracos, e óleo na pista provavelmente será um grande problema. Nas curvas o campo de visão é menor, então sempre preste atenção ao solo.

Olhe para a frente: não desvie seu olhar para outdoor, mulheres, paisagem ou para conversar com o garupa. Pois em fração de segundos tudo pode mudar e você se acidentar.

Assaltos, um perigo a mais: Quando estacionar, procure escolher locais menos vulneráveis e use algum dispositivo anti-furto na moto como um rastreador.

Abraço!

Fonte: Moto Esporte

Comprando uma moto

terça-feira, fevereiro 3rd, 2009

Hoje em dia na hora de comprar uma moto verifique bem a procedência da mesma, pois é comum aplicarem golpes.

Segue algumas dicas:

- Dê preferência às revendas mais conhecidas no mercado. Buscar maiores informações sobre o estabelecimento, bem como a veracidade de informações como CNPJ, endereço e canais de contato sobre a sede do fornecedor, representa a garantia inicial da confiança no negócio em andamento.

- Informe-se sobre garantias e políticas dos vendedores em relação à devolução e restituição do pagamento do produto a ser adquirido.

- Verifique a documentação na hora de negociar. Com o número do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores), você pode consultar se há débitos, alienação ou dívidas atreladas às financeiras acessando o site do Detran (Departamento Estadual de Trânsito): http://www.seguranca.sp.gov.br.

- Antes de fechar negócio, confira a documentação básica e essencial: comprovante de pagamento do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e seguro obrigatório (DPVAT), Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo, Certificado de Transferência datado, preenchido e com firma reconhecida (recibo/contrato de venda). Prefira os documentos originais e os verifique com órgãos oficiais competentes.

- Se o objetivo for comprar uma moto usada, compare as ofertas que houver para a marca e o modelo de sua procura.

- Jamais faça depósitos de valores em contas correntes de pessoas físicas indicadas pelo anunciante sem ter certeza da idoneidade das mesmas, da legítima procedência e do real estado do veículo.

- Nunca faça qualquer pagamento, tampouco realize adiantamentos em valor ou bem sem antes ter certeza da idoneidade do anunciante, da legítima procedência e do estado do veículo. Verifique o endereço e o telefone (atenção aos anúncios cujo único contato seja o telefone celular).

- Desconfie de valores muito abaixo do mercado para veículos novos ou usados.

- Desconsidere ofertas de pessoas que dizem ser funcionárias ou intermediárias de montadoras. As fabricantes não autorizam, em hipótese alguma, seus empregados a comercializarem veículos 0 km.

- Quando for analisar o veículo, prefira horários diurnos e locais públicos. Haverá mais luminosidade para averiguar eventuais problemas e será também mais seguro.

- Se necessário, peça a um mecânico de sua confiança para avaliar a moto.

- Pesquise o valor médio de mercado da moto.

Fonte: Moto

Furto

quinta-feira, janeiro 22nd, 2009

Olhe como é fácil roubar qualquer moto!

Mesmo tendo alarme e bloqueador essa moto seria levada facilmente.

Todos os motoqueiros sabem que não tem cabimento fazer um seguro para moto, os valores são muito altos devido a facilidade da moto ser roubada.

Hoje em dia não existe mais cidade ou bairro que seja 100% seguro, e não é bom para ninguém correr o risco de perder todo o dinheiro investido em um meio de transporte em segundos, nunca mais vendo seu bem precioso.

Fico indignado com fatos como esse do vídeo. Nós batalhamos, trabalhamos, compramos uma moto (pois na minha opinião é o melhor meio de transporte), e vem alguém e nos toma!

Já fui roubado uma vez. Hoje em dia não tenho seguro, mas uso rastreador. Ainda não precisei usar o serviço, mas um amigo meu recuperou sua CG assim.

Recomendo esse AQUI.

Desculpe pelo desabafo mas não agüento essas coisas!

Abraço!