Archive for janeiro, 2010

Dafra divulga novos preços de sua linha

sexta-feira, janeiro 29th, 2010

dafra

Mais uma empresa aproveitou a redução da taxa Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) para diminuir o preço de seus produtos.

A medida adotada pelo governo brasileiro para motocicletas de até 150 cm³ possibilitou à Dafra fazer com que suas máquinas Speed 150, ZIG e Smart 125 fiquem com preços mais que convidativos.

Confira como ficam os novos preços sugeridos:

Super 100 - R$ 2.990,00
ZIG - R$ 3.990,00
Speed 150 - R$ 4.490,00
Kansas 150 - R$ 5.340,00
Smart 125 - R$ 5.660,00
Laser 150 - R$ 5.690,00

Fonte: Terra

Kasinski Comet GT 250 R

quarta-feira, janeiro 27th, 2010

kasinski

No último post demos algumas dicas de como pilotar um superesportiva. Deu vontade de pilotar uma? Então olhe com bons olhos para a Kasinski Comet GT 250 R. Ela não é uma superesportiva mas é uma boa opção para um modelinho mais invocado.

De origem sulcoreana, o modelo 2010 da Hyosung, que chega ao país com a marca Kasinski, ganhou injeção eletrônica de combustível para alimentar seu motor de dois cilindros em “V”, único no segmento. Com carenagem e tanque volumosos, a Comet tem aparência de moto de maior cilindrada. Seu design, digno de elogios, e o bom nível de acabamento chamam a atenção.

O design da moto não é muito convidativo para os que desejam percorrer longas distâncias com ela pois o condutor adota uma postura “Racing”. Destaque para o painel simples mas funcional, equipado com mostrador digital multifuncional e com conta-giros analógico.

Ficha Técnica: Kasinski Comet GT 250 R EFI

Motor: Dois cilindros em “V”, 249 cm³, OHC, 4 tempos, arrefecido a ar e óleo.
Potência: 29,2 cv a 10.500 rpm.
Torque: 2,31 kgfm a 8.000 rpm.
Diâmetro e curso: 57 mm x 48,8 mm.
Alimentação: Injeção Eletrônica; partida elétrica.
Câmbio: Cinco velocidades.
Suspensão: Garfo telescópico invertido, com 120 mm de curso (dianteira); balança monochoque com 120 mm de curso e ajuste na pré-carga da mola (traseira).
Freios: Disco duplo de 300 mm de diâmetro e pinça de dois pistões (dianteiro); disco de 230 mm de diâmetro com pinça de dois pistões (traseiro).
Pneus e rodas: 110/70-17M/C 54H (dianteiro); 130/70 - 17 62 H (traseiro).
Dimensões: 2.095 x 720 x 1.135 mm (CxLxA); 1.430 mm (entre-eixos).
Tanque: 17 litros.
Peso: 173 kg
Cores: Preta, vermelha, branca/preta, vermelha/preta.
Preço: A partir de R$ 15.100

Fonte: Infomoto

Dirigindo uma superesportiva

segunda-feira, janeiro 25th, 2010

Esta dica vai para aqueles que já entraram na casa dos quarenta ou cinquenta anos de idade e que agora podem se dar ao luxo de comprar uma moto superesportiva e realizar o sonho da juventude de sair acelerando pelas ruas - sempresuper-esportiva respeitando os limites é claro.

Se você for inexperiente, for baixinho ou estiver um pouco acima do peso cuidado. Pilotar uma superesportiva não é das coisas mais fáceis que existe no mundo das duas rodas. A dica principal é fazer um curso de pilotagem, mas fora isto seguem algumas dicas que podem ajudar:

1-) Pilote mais relaxado e com as costas retas.
2-) Apóie as pontas dos pés nas pedaleiras.
3-) Não apóie seu peso sobre os braços e na parte dianteira da moto.
4-) Aperte e controle a moto com as coxas, como se estivesse sobre um cavalo.
5-) Nas mudanças de direção empurre a pedaleira para baixo para o sentido que quer seguir.
6-) Use sempre itens de segurança e respeite os limites da via e os seus limites.

Fonte: UOL

Suzuki GSX-R 750

sexta-feira, janeiro 22nd, 2010

suzuki_750_560

A Suzuki surpreende com seu modelo GSX-R 750 que corresponde a expectativa daqueles que querem ter uma máquina que alie status e prazer sobre duas rodas.

Uma moto esportiva, de motor mais manso, ideal para aqueles que pretendem ter uma grande moto nas mãos e que não tem muita prática em pilotar em altas velocidades. Mas não se engane! Apesar da potência menor, esse propulsor de quatro cilindros em linha acelera para valer.

Um atrativo que merece destaque neste modelo é o painel de instrumentos, com tacômetro analógico, velocímetro digital em tela de cristal líquido, e luzes indicadoras em LEDs e shift-light (luz de troca de marcha).

Ficha Técnica: Suzuki GSX-R 750

Motor: DOHC, 749 cm³, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, quatro tempos, refrigerado a líquido.
Potência: 150 cv a 13.200 rpm.
Torque: 8,8 kgfm a 11.200 rpm.
Alimentação: Injeção eletrônica, partida elétrica.
Câmbio: Seis marchas
Suspensão: Garfo telescópico invertido, com múltiplos ajustes (dianteira); monoamortecedor, com ajustes de pré-carga da mola (traseira).
Freios: Disco duplo de 310 mm de diâmetro e mordido por pinça de quatro pistões (dianteiro); disco simples de 210 mm de diâmetro e pinça de um pistão (traseiro).
Pneus e rodas: 120/70 ZR 17 (dianteira), 190/50 ZR 17 (traseira).
Dimensões: 2.400 mm (comprimento); 715 mm (largura); 1.125 mm (altura); 1.415 mm (entre-eixos); 810 mm (altura do assento).
Peso: 163 kg (a seco).
Tanque: 16,5 litros.
Cores: Preta, preta e laranja e azul.
Preço: R$ 54.670

Fonte: Infomoto

Qual a melhor moto do Mundo?

quarta-feira, janeiro 20th, 2010

ducati_1098

Falar qual é a melhor moto do mundo é difícil, cada um tem sua preferência pelo modelo A, B ou C. Pensando nesta diversidade de opiniões, a revista inglesa Motorcycle News (MCN) utilizou um método justo e democrático para decretar qual seria a melhor moto do mundo: deixou seus leitores responderem.

A publicação realizou uma pesquisa que incluía os seguintes itens: design, desempenho, dirigibilidade, conforto, segurança, serviços e custo-benefício.

Ao todo, 12.000 pessoas participaram da “eleição” que consagrou a Ducati 1098 como a melhor moto do mundo, seguida pelas máquinas da Triumph que ficou com o 2º, 3º e 5º lugar.

Vale lembrar que a MCN é a principal publicação de motos do Reino Unido e possui mais de 50 anos de tradição no setor. Que tal fazer uma votação entre vocês, nossos leitores?

Usando estes mesmo quesitos, qual é a melhor moto do mundo na opinião de vocês?

Fonte: Terra

Honda divulga tabela com isenção da Cofins

segunda-feira, janeiro 18th, 2010

Dia 17 de dezembro de 2009 o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que manteria a isenção da Cofins (Contribuição para ohonda_moto_logo Financiamento da Seguridade Social) de 3% para 0% para motocicletas até 150 cm³ de cilindrada.

A intenção foi manter o mercado aquecido por meio de preços mais baratos no setor. A Honda veio a público e anunciou que desde o dia 1º de janeiro as suas motos já estão com a redução de preço, por tanto é hora de aproveitar!

Entre os modelos Honda atendidos pela redução do imposto estão:  Pop 100, Lead 110, Biz 125, CG 125 Fan, CG 125 Cargo, CG 150 Fan Esi, NXR 150 Bros e NXR 150 Bros Mix.

Fonte: Uol

Escola de pilotagem do Alex Barros

sexta-feira, janeiro 15th, 2010

alexandre_barros

Considerado o melhor piloto de motovelocidade que o Brasil já teve, Alex Barros colocará sua experiência e know-how a serviço dos mortais que pretendem aperfeiçoar a pilotagem de suas motos.

A Alex Barros Riding School será uma escola de pilotagem com uma estrutura nunca vista antes no Brasil e terá três diferentes módulos de cursos A principio, os cursos serão feitos no autódromo de Interlagos.

Acesse o www.alexbarros.com.br e fique por dentro das datas e preços do curso.

Fonte: Terra

Triumph Speed Triple

quarta-feira, janeiro 13th, 2010

triumph_triple

A moto que marcou a década de 90 e fez sucesso nas telinhas ao ser pilotada pó Tom Cruise no filme “Missão Impossível 2″ está de volta. Com o passar do tempo esta naked inglesa evoluiu e ganhou um motor maior — de 1.050 cm³ — alimentado por injeção eletrônica.

Mas como em time que está ganhando não se mexe, a moto manteve seu visual diferenciado e ótima dirigibilidade graças a sua posição de pilotagem quase esportiva, ressalvando o largo guidão de alumínio. Pedaleiras recuadas e peito no tanque, o motociclista fica em posição de ataque, para encarar curvas fechadas ou abertas sem medo de se divertir.

Ficha Técnica: Triumph Speed Triple

Motor e transmissão: Três cilindros em linha, 12 válvulas, DOHC, com refrigeração líquida, capacidade cúbica de 1.050 cm³; câmbio de seis marchas e transmissão final por corrente; partida elétrica; injeção eletrônica multiponto seqüencial
Potência e torque: 132 cv a 9.250 rpm; 10,7 kgfm a 7.550 rpm
Quadro: Dupla trave superior tubular em alumínio
Suspensão: dianteira com garfo telescópico invertido Showa com 43 mm de diâmetro totalmente ajustável com 120 mm de curso; traseira com monobraço com um conjunto mola amortecedor Showa totalmente ajustável com 134 mm de curso
Freios: dianteiro com disco duplo de 320 mm de diâmetro e pinça de fixação radial Nissin com quatro pistões; traseiro com disco de 220 mm de diâmetro e pinça Nissin de dois pistões
Pneus: dianteiro 120/70 ZR 17; traseiro: 180/55 ZR 17
Dimensões: 2.115 mm (comprimento) x 780 mm (largura) x 1.250 mm (altura); 1.429 mm de entre-eixos e 815 mm de altura do assento
Tanque de combustível: 18 litros
Peso seco: 189 Kg
Preço: R$ 46.900

Fonte: infomoto

A adição de naftalina na gasolina aumenta a octanagem?

segunda-feira, janeiro 11th, 2010

Sempre buscamos um melhor desempenho de nossas motos e um mito que vem ganhando força é que a adição de naftalina na gasolina aumenta a octanagem e conseqüentemente melhora o desempenho da motocicleta.

Especialistas afirmam que a naftalina é um hidrocarboneto, ou seja,naftalina derivado de petróleo, então quando ela é combinada com a gasolina, faz com que esta aumente sua octanagem, isso possibilita que se trabalhe com taxas de compressão mais altas, gerando maior torque e potencia ao motor.

Porém, se o motor não está preparado, o piloto não perceberá nada, a não ser um efeito placebo. O dano que esta prática pode causar é que, em decorrência da má qualidade da naftalina encontrada no país, quando combinada com a gasolina, cria-se detritos no reservatório de combustível, que se chegarem ao carburador, ou bico injetor, vão causar danos maiores que os possíveis ganhos pretendidos.

Fonte: Motovrum

Nitrogênio na calibragem

sexta-feira, janeiro 8th, 2010

Uma dúvida que surge no mundo das quatro e das duas rodas é se o uso de nitrogênio na calibragem melhora a calibragem de um pneu. Apesar de nitroexistir muita discussão entorno deste tema, a resposta é que não existe comprovação, sendo que o correto é seguir aquilo que é estipulado pelo fabricante.

O nitrogênio pode garantir estabilidade por ter um ponto mais elevado e aquecido, que faz com que a calibragem seja realizada a cada dois meses e com oxigênio uma vez por mês, porém não se pode afirmar se isto causa danos ou não as motos.

Fonte: Motovrum