Posts Tagged ‘capacete’

Honda lança capacete baseado em seu novo scooter

segunda-feira, outubro 28th, 2013

28-10-2013-1

Colega motoqueiro, a Honda está mesmo interessada em divulgar seu novo scooter PCX. Para isso, lançou um belo capacete com traços e cores baseados na motinha.

O PCX é um belo scooter de 150 cc que traz o inédito sistema “start/stop” para desligar o motor quando estiver em amrcha lenta e religar ao primeiro toque de acelerador ou empreagem (coo o stand by da nossa TV).

Muito bem, o capacete, belíssimo, e’aberto, em plástico injetado, forro antialérgico removível e lavável e viseira anti-riscos. Traz, como todo bom capacete aberto, cinta jugular para ajuste micrométrico.

Além disso, traz grafismo exclusivo e será vendido nos tamanhos 56 e 58. A marca ainda não divulgou o preço do capacete. E eu já estou pensando em um pra mim, já que não é de hoje que procuro um bom capacete aberto! ;)

Gostou?

Até a próxima.

Pode levantar a viseira

quarta-feira, outubro 9th, 2013

09-10-2013-1

A cena é comum, colega motoqueiro. Você, eu e todos os motociclistas do Brasil já fizeram isso, mas até esta semana, era proibido: levantar a viseira parado no farol. Graças ao bom senso, isso será permitido agora.

Agora, de acordo com o Conselho Nacional de Trânsito (Conatran), se a moto estiver parada, mesmo ligada, independentemente do motivo e lugar, a viseiro pode ser totalmente aberta.

Mas devemos lembrar que quando a moto for recolocada em movimento, a viseira deve ser imediatamente fechada. Trafegar com a viseira aberta ainda é proibido e passivel de multa.

Outra alteração permite que, no caso dos capacetes com “queixeira”, possa haver uma pequena abertura de forma a garantir a circulação de ar. Ainda assim, a viseira deve estar completamente abaixada, possibilitando a proteção total dos olhos.

Fique esperto e pode abrir sem medo, sempre bom tomar aquele ar no farol. Mas se lembre de abaixar a viseira ao andar novamente.

Até a próxima.

Capacete russo traz ficção científica para a realidade

quarta-feira, junho 26th, 2013

26-06-2013-1

Motoqueiro vidrado em tecnologias novas e absurdas, prepare-se. Sabe quês filmes que o cara põe um capacete e em sua visão surgem informações de rota e GPS? Então, ele pode deixar de ser exclusivo de pilotos de caça e do Homem de Ferro.

Uma empresa russa chamada LiveMap criou um capacete para motociclista com essa tecnologia chamada Heads-Up Display. HUD, para os íntimos. O capacete possui uma viseira na qual é projetada uma imagem colorida e translúcida. De acordo com a empresa, a imagem não atrapalha a visão do motociclista e também não desvia sua atenção, pois não há uma tela separada, como nos GPS.

Duas baterias mantém o funcionamento do sistema por um bom tempo. Um microfone e dois alto-falantes embutidos no capacete permitem que o motociclista receba as orientações do GPS e ainda dê comandos de voz para o sistema, pra se sentir o verdadeiro Tony Stark (será que podemos usar o nome “Jarvis” como palavra-chave de comando, só de brincadeira?).

Porém, para produzir o capacete, a LiveMap precisa de investimentos. Eles lançaram uma campanha de crowdsourcing no site Indie GoGo. Você pode acessá-lo para contribuir e também para ver um vídeo explicando como a tecnologia funciona.

Curtiu a ideia dos russos?

Até a próxima.

26-06-2013-2

Uma imagem da tela. O mapa desaparece quando a moto anda, restando apenas informações do trajeto e sistema de áudio.

Virou moda: agora o capacete do Predador

segunda-feira, abril 29th, 2013

29-04-2013-1

Parece que abriram o baú das bizarrices na hora de criar novos capacetes. Há poucos dias mostramos o “capacete do Batman) lançado nos EUA. Os russos, sempre indo além, decidiram lançar o “capacete do Predador”.

Pra quem não se lembra, o Predador é um personagem do cinema e dos quadrinhos, uma raça alienígena caçadora. Fez sucesso no filme homônimo estrelado por  Arnold Schwarzenegger e Dany Glover.

O capacete, vendido pela loja russa online NLO-Moto, é de primeiríssima qualidade. O acabamento e a preocupação com os detalhes também é impressionante.

A peça é feita de fibra de vidro e usa como base capacetes suíços da marca IXS. Além de ser modificado para parecer o mascara do monstro, os detalhes vão muito além.

O capacete recebeu “dreadlocks” como do personagem feitos de tecido trançado. Há também leds laterais imitando a famosa mira laser de três pontos da criatura. Sem contar que o comprador pode escolher entre 18 opções de customização, como cores diversas e grafismos para imitar o rosto do caçador assassino.

O preço é alto: cerca de R$ 1.570. O comprador ainda pode exigir a peça em fibra de carbono (mais leve, mais resistente e bem mais cara) e a mira laser direcional (ok, não sei pra que serve isso e nem como funciona). O preço pode chegar a R$ 3.700.

Para comprar, vá direto ao site da NLO-Moto e encomendar. Eles aceitam Pay-Pal.

Vamos confessar: o acabamento é mesmo espetacular. Você teria um?

Até a próxima.

Empresa americana lança capacete inovador

quinta-feira, março 14th, 2013

14-03-2013-1

Colega motoqueiro, você já reparou que faz décadas que a fabricação de capacete é praticamente igual? Mudando a qualidade dos materiais e um detalhe aqui ou ali, é basicamente plástico injetado com uma forração de espuma. Mas uma pequena fabricante de capacetes californiana chamada 6D Helmets está inovando esse processo.

Com uma tecnologia inovadora chamada ODS (Omni-Directional Suspension), a novidade é uma suspensão totalmente ativa dentro do capacete. Focada no off-road, a proposta é um capacete que causaria menos impactos na cabeça do piloto em acidente de baixa velocidade (muito comuns no MotoCross).

Segundo a 6D Helmets,  a uma velocidade de 9 km/h, seus capacetes transferem uma força de 49 g para a cabeça do piloto. Um capacete convencional passa 79 g à mesma velocidade. Velocidades tão baixas podem parecer um pouco demais, mas, a maioria dos acidentes nas pistas de MotoCross são quedas em baixa velocidade. As velocidades citadas não se referem à velocidade que a motocicleta estava, e sim a que velocidade o capacete colidiu com o chão.

Pra ver como funciona o sistema, confira aqui:

Será que a novidade chega às ruas? Até a próxima.

Capacete não tem prazo de validade, mas tem especificações

quarta-feira, fevereiro 13th, 2013

13-02-2013-1

Colegas motoqueiros, os lojistas podem querer me matar agora, mas bato o martelo: CAPACETE NÃO TEM PRAZO DE VALIDADE. Existe uma lenda em alguns cantos de que um capacete velho “venceu” e tem que ser trocado. Esqueçam, ele não é um produto perecível.

O que acontece é que observando seu estado de conservação ele pode estar ou não apto para ser usado. Se você já sofreu algum acidente (e espero profundamente que não) e o capacete foi danificado, aí sim vai precisar de um novo. Isso tem a ver com o uso e não com o tempo do produto.

Porém, existem especificações.

Primeiro de tudo. Capacete “coquinho” é proibido. Ele pode ser o maior estilo “american biker”, mas deixa nuca e queixo desprotegidos. Na prática, é tão seguro quando um boné. A lei não permite seu uso para motocicletas.

Capacete sem viseira pode, mas o uso de óculos de proteção é necessário (aquele no estilo motocross). Óculos de grau não podem ser usados para essa função, eles devem ficar sob os óculos de proteção.

Os capacetes precisam ter sole do Imnetro. Aqui começa a briga. O selo deve certificar o equipamento segundo a norma de 2001, se for a de 1996, não pode e é preciso trocar. Mas capacete não tem validade! Eu sei, mas a lei obriga que seja trocado.

Segundo problema, um capacete homologado no exterior não vale para o Brasil. Não basta trazer aquele lindo e seguro AGV direto da Itália e sair usando. Você deverá levá-lo a algum órgão responsável para avaliar as condições de uso.

Todos os capacetes devem conter adesivos reflexivos na parte traseira, lateral e frontal. Esses adesivos são baratos e podem ser encontrados com facilidade.

Quanto a viseira (ou os óculos de proteção), não é permitido instalar insulfilm. Se elas foram naturalmente escurecidas, tudo bem. Mas só pode usá-las antes de anoitecer, quando apenas as cristais são permitidas.

Então fique sempre esperto com o capacete, ele é o principal equipamento de segurança, mas não caia em qualquer conversa de que “seu capacete venceu, é hora de ter um novo”…

Até a próxima.

AGV lançará mais uma réplica do capacete de Valentino Rossi

quarta-feira, janeiro 30th, 2013

24-01-2013-1

A AGV é uma das maiores e melhores fábricas de capacete do mundo. E além da qualidade incontestável, patrocinam o maior piloto da Moto GP: Valentino Rossi.

Claro que eles sabem usar isso para promover seus produtos. O casco usado por Rossi no último ano de Moto GP será lançado ao público. Não só os grafismos chamativos já tradicionais na cabeça do piloto, o novo modelo, chamado de Pista GP, traz inúmeras novidades e chega para ser top de linha da marca.

O novo formado é mais anatômico, mais próximo a um crânio humano, o AGV Pista GP pesa apenas 1250g e apresenta diversas inovações quando comparado com o GP-Tech. Segundo a fábrica italiana, o Pista GP tem 193% mais de ventilação e transmite 36% menos força à cabeça do piloto. Ainda garantem que ele é 47% mais seguro contra lesões se comparado ao GP-Tech (que já é extremamente seguro e confiável).

O ângulo de visão também esta maior. O próprio Valentino Rossi disse que é como “mudar da TV para o cinema”.

Porém a réplica é para poucos. Ainda em pré-venda na Europa, o casco custa, por lá, cerca de R$ 2.615,00. Por aqui, importado, seria vendido por uns R$ 1.000,00 mais caro.

Que a qualidade dos produtos da AGV são impressionantes, isso não resta dúvida. Mas uma crítica deve ser feita: eles poderiam insistir menos em lançamentos tão calcados em Valentino Rossi e com apelo de pista e pensar nos motociclistas de outras classes. O pessoal que usa no dia a dia, a galera das customs que curte pegar estradas, o pessoal que se aventura pelos off roads e etc. Todos merecem ter acesso a segurança dos produtos tops de linha.

Quem sabe um dia?

Até a próxima.

Obrigatoriedade do capacete

segunda-feira, dezembro 3rd, 2012

03-12-2012-1

O capacete é um item básico de segurança e salva inúmeras vidas em eventuais acidentes. No Brasil, seu uso é obrigatório. Porém, em alguns estados dos EUA, seu uso é facultativo. Eis a discussão: será que é válido seu uso ser opcional?

Vamos, antes de qualquer coisa, esclarecer quais condições que os estados norte-americanos liberam o não uso do capacete: é necessário que o condutor, além de devidamente habilitado, tenha um seguro completo para danos materiais e contra terceiros. A lei que permite ao piloto escolher sobre o uso do capacete já dura cerca de 20 anos nos EUA, mesmo que 70% dos acidentes fatais de motos por lá poderiam ser evitados com um capacete.

Olhando as estáticas brasileiras e estadunidenses, mesmo com a obrigatoriedade do item de segurança, morre-se muito mais por aqui. O assunto é polêmico e delicado e requer a investigação de inúmeros fatores. Seria possível tornar o uso do capacete optativo no Brasil?

Acontece que nosso trânsito é desordenado e, mais que isso, o condutor brasileiro não é maduro nem responsável o bastante para optar por usar ou não o capacete. Algumas leis sobre o capacete no Brasil são, sem dúvidas, infundadas (como aquela que não reconhece como seguro um capacete homologado em outro país), mas a obrigatoriedade do uso tem lógica plausível.

Muitos motociclistas dizem que pilotar de capacete é mesmo muito gostoso. Não da pra negar que a sensação é ótima, mas a selvageria dos motoristas e motoqueiros nas cidades e estradas do Brasil não permite esse “luxo”, já que não estamos preparados para entender nossos direitos e nossos deveres.

Queremos saber qual sua opinião a respeito? O uso do capacete no Brasil poderia ser facultativo?

Pense a respeito e até a próxima.

A importância do capacete e seus tipos

quinta-feira, outubro 18th, 2012

18-10-2012-1

O capacete é um dos acessórios de segurança mais importantes do condutor. Além de proteger a sua cabeça contra impactos em caso de queda e evitar traumatismos, ele também demonstra o estilo do motorista.

A maior incidência de pancadas em um acidente de moto ocorre na cabeça, onde a lateral esquerda do queixo recebe 15% das pancadas e a lateral direita, 18%. Assim, é recomendado o uso de capacetes fechados, que protegem toda a cabeça.

O capacete fechado é o mais seguro, contando com uma proteção total. No entanto, pode atrapalhar com o calor gerado em cidades mais quentes. Os capacetes abertos são mais utilizados em cidades litorâneas, onde o clima é mais quente. A desvantagem é que ele deixa uma parte grande do rosto vulnerável à pancadas.

Os capacetes híbridos são uma boa alternativa. Se tratam de capacetes fecados que podem ter a frente deslocada, tornando o capacete “aberto”. Assim, é adaptável para cada tipo de situação. Há também o capacete coquinho, proibido no Brasil por só proteger o topo da cabeça, mas querido por motociclistas custom, como os donos de Harleys.

Proteja a sua vida antes de tudo. Dirigir a sua motocicleta com segurança é a melhor escolha para a vida. Dirija sempre com cuidado e até a próxima.

Capacetes - A série

sexta-feira, janeiro 21st, 2011

capacetes-fly

Hoje daremos início a uma série especial sobre capacetes.

Além de um item fundamental para a segurança e equipamento previsto por lei para todos os motoqueiros, o capacete traduz um pouco do estilo de cada motoclista, além de possuírem características que se adaptam aos mais variados tipos de situaçõs.

Integrais: São fechados, com formato que confere maior resistência a toda a estrutura.
Ponto Negativo: Têm facilidade para embaçar a viseira e são quentes nos dias de calor, além de mais caros.

Ponto Positivo: Oferecem maior proteção (por isto o alto preço) e têm muito mais materiais e funcionalidades como canais de circulação de ar, forros removíveis, e etc.
Todo Terreno: Têm um formato muito próprio que inclui uma proteção para os diversos tipos de terreno, incluindo contra pedras, lama e poeira. Indicado para esportes.

Híbridos: Permitem abrir/deslocar para cima à parte do queixo do capacete.

Ponto Positivo: Ideal para grandes viagens, pois permitem descansar um pouco a cabeça e respirar melhor nas paradas, sem ter que retirar o capacete. Indicado para quem utiliza óculos.

Abertos: Protegem apenas as orelhas e as partes laterais do rosto. O nível de segurança deste capacete é baixo, não possui proteção para o queixo e grande parte não tem viseira. A falta de aparato mais seguro reduz o preço deste capacete que é indicado para uso na cidade.

Coquinho: No Brasil o uso é ilegal, cobre apenas a parte superior da cabeça. Utilizado normalmente para demonstrações e motociclistas de “Harleys”.