Posts Tagged ‘cuidados’

Cuidado com as chuvas de verão

quinta-feira, dezembro 5th, 2013

05-12-2013-1

Um fato: andar de moto no verão é muito legal. Outro fato: no verão chove muito e repentinamente. Por isso, motoqueiro, é bom ter alguns cuidados com o que podemos encontrar pela frente.

Primeiramente, nunca é muito lembrar que, independentemente de qualquer coisa, mantenha os freios em ordem e nunca rode com pneus carecas. Assim, não será surpreendido peloa chuva repentina.

Também vale lembrar que a tina no asfalto fica extremamente escorregadia (mesmo!) quando molhada. Como já sabemos, as cidades brasileiras foram projetadas pra carros, nós somos os “intrusos”. Por isso que muitos detalhes que não mudam a vida de um motorista de carro podem custar muito para um motociclista.

Outro problema é que as chuvas de verão são torrenciais. Por isso que uma rua sequinha pode, em questão de minutos, receber enxurradas fortes. E guiar em enxurradas é furada. Não apenas pela força da água que pode descontrolar a moto, mas porque o grande fluxo esconde buracos e obstáculos arrastados (como lixo e até pedaços de árvore – não é exagero). O mesmo vale pra enchente, mas nesse caso, ainda se pode perder a moto caso decida enfrentar. E nenhum seguro cobre isso.

Porém, a meu ver, o pior que acontece no trânsito durante as repentinas pancadas de chuva forte de verão é a histeria coletiva das ruas. Junte isso com a proximidade de férias escolares e, principalmente, natal e o caos esta instaurado. Por isso, choveu mais forte, a sua atenção deve estar em você e nos outros também; muitos motoristas simplesmente não veem motos na rua!

Tome sempre cuidado: segurança em primeiro lugar.

Até a próxima.

Como agir quando enfrentar uma enchente em sua moto?

quinta-feira, fevereiro 21st, 2013

21-02-2013-1

Olá, colegas motoqueiros. Verão traz uma certeza para quase todos que vivem em cidades grandes: enchentes. E sabemos que as medidas governamentais para corrigi-las são muito ineficazes, então essa é e será a realidade por um bom tempo.

Acontece que você optou por ter uma moto (direito seu, meu, de todos). E aí? O que fazer quando encher?

O fato é que não adianta insistir. Nesses casos, o melhor a se fazer é não sair de onde está. Já saiu? Volte por aonde veio, ainda que seja contramão (quando for assim, desça da moto e ande com ela perto da calçada).

Encarar uma enchente não é recomendado para carros, quem dirá para motos. Se insistir, você estará assumindo os seguintes riscos:

- entrar água no motor;

- bater em algum obstáculo submerso e cair;

- ser arrastado pela correnteza;

- pegar alguma doença (ou você acha que aquela água é limpa?).

Ainda existem outros riscos de acidente e para a saúde, sem contar os danos para a moto em si (em caso de enchentes, o seguro não cobre a avaria).

Portanto, é dureza, mas volte pra onde estava ou para algum lugar segura da água (você e sua moto). Melhor chegar molhado de chuva, mas chegar.

Já precisou encarar alguma situação assim? Conte pra gente.

Até a próxima.

21-02-2013-2

Foto de uma moto arrastada pela enchente: o seguro não vai cobrir

Tenha cuidado quando trocar as pastilhas de freio

terça-feira, fevereiro 12th, 2013

12-02-2013-1

Colegas motoqueiros, como todos sabem, existem inúmeros mitos que rondam o mundo dos veículos motorizados. Um deles é que “equipamento novo funciona melhor”. Calma, isso é verdade. Porém muitos equipamentos novos precisam ser amaciados.

Já explicamos o que acontece com pneus 0 km com um tipo de resina que precisa ser tirada no asfalto. Hoje vamos falar algo que ocorre com pastilhas de freio.

Primeiro, por que trocamos a pastilha de freio? Simples, elas desgastam a ponto de ficarem ineficazes e não preciso falar os perigos de um freio ineficaz. Acontece que muitos motoqueiros trocam as pastilhas e sentem os freios respondendo menos que antes.

Vamos explicar o motivo. Os discos de freios se desgastam também e criam pequenas ranhuras. As pastilhas são consumidas de acordo com essas ranhuras, portanto o desgaste é SEMPRE igual aos discos. Dessa forma, a área de contato entre pastilha e disco é sempre total. Uma hora a pastilha já está tão gasta que fica “lisa” e perigosa.

Quando você coloca uma pastilha de freio nova, ela está sem o formato das ranhuras do disco, por isso pode parecer que as novas são menos firmes que as antigas. Na verdade, elas precisam ser amaciadas.

Por isso, quando trocar as pastilhas de freio é necessário não exigir muito delas nos primeiros quilômetros, porque o freio não terá a mesma eficiência. Rode em baixa velocidade e acione os freios suavemente e repetidamente que logo estará tudo certo.

Sempre atenção e segurança em primeiro lugar.

Tem mais dicas a respeito? Mande pra gente.

Até a próxima.

Pneu novo na moto requer maior atenção

quinta-feira, janeiro 31st, 2013

31-01-2013-1

Imagine que você acabou de pegar uma moto 0 km, novinha, linda. Ou então trocou os pneus daquela sua companheira de longa data. A vontade é de dar uma volta com a nova aquisição. Mas cuidado, pneus novos podem derrubar qualquer piloto.

Vamos explicar o motivo. Quando um pneu sai da fábrica ele está coberto com uma espécie de cera. O produto é colocado para tirar o pneu do molde na hora da fabricação.

Acontece que esse produto (que leva silicone em sua fórmula) é escorregadio. Já viu o que pode acontecer?

Um pneu novo ainda não tem a aderência de um pneu pouco rodado. Então, quando sair da oficina ou da concessionária, vá devagar. Alguns poucos quilômetros são suficientes para retirar a camada de cera do pneu. Mas nessas primeiras voltas, sua moto não agarra na pista como deveria.

Na internet você encontra “receitas” de como tirar a cera do pneu: lavar, lixar, passar palha de aço… Nada é tão eficiente como uma voltinha em baixa velocidade, fazendo curvas para esquerda e direita.

Pneu novo é ótimo, mas nada de sair arrepiando, antes disso você precisa deixa-lo pronto. E isso se faz no asfalto, ok?

Só uma última dica. Em automóveis é comum passar o famoso “pretinho” no pneu, pra deixa-lo brilhante e chamativo. Em uma moto, jamais faça isso. Esse produto é feito a base de silicone, o mesmo componente da cera que vem de fábrica. Viu o resultado? Isso vai deixar seu pneu liso e sem a aderência necessária, aumentando o risco de uma deslizada ou uma queda.

Segurança vem em primeiro lugar, deixa a beleza para segundo plano.

Fique sempre atento e até a próxima.

Cuidados com os pneus

sexta-feira, outubro 1st, 2010

O pneu da moto muitas vezes acaba sendo esquecido, ou a falta de informação atrapalha sua manutenção. Por isso aqui vão algumas dicas para você aprender a cuidar e manter o seu pneu.

.Calibragem
Os pneus são responsáveis por criar o atrito no asfalto, e assim “levar” a moto adiante. Por isso é necessário que a calibragem seja correta, e não haja um desgaste desnecessário dos pneus. A calibragem correta pode ser encontrada nos manuais dos proprietários das motocicletas e na própria motocicleta. Deve sempre ficar atento as mudanças necessárias, devido ao peso do veículo e também da carga. pneus com baixa pressão de inflação causam superaquecimento, diminuem a resistência ao rolamento na estrada, provocam o desgaste irregular, danos internos e rachaduras, reduzindo desta forma sua vida útil. A calibragem errada pode levar a um gasto maior de combustível. Já os pneus com pressão de inflação alta tornam o veículo mais ‘duro’, sujeitando-os a danos por impacto, desgaste acentuado no centro da banda de rodagem, entre outros problemas.

.Troca
Os pneus como qualquer outro produto tem uma vida útil, que gira em torno de 5 anos, após esse período as trocas são necessárias. A troca além da validade depende do uso, por isso deve ser levado em conta o T.W.I (Tread Wear Indicator) que é um indicativo da banda de rodagem, por isso quando o desgaste estiver alcançando essa marca, é recomendada a troca. Esta regra vale para pneus bem utilizados e sem danos sofridos. É desnecessário dizer que pneus em más condições de uso devem ser trocados imediatamente, evitando qualquer risco de acidente.

.Bolhas
Bolhas podem aparecer nos pneus e aumentar as chances de acidentes.Já que os pneus possuem diversas camadas de tecidos, que passam por um processo de fusão e assim deixam o pneu uniforme. Contudo, uma topada mais forte, um buraco meio invisível no meio da noite pode romper essas camadas, e conforme a moto vai rodando, o pneu danificado vai soltando as fibras internas dos tecidos. Com isso, o aquecimento do pneu vai aumentar e o calor fará aumentar o espaço danificado, e quando menos esperar o motociclista verá a bolha saltando aos olhos. Neste caso, só há uma coisa a fazer: trocar.

.Cuidados com os pneus
. A verificação da pressão deve ser feita regularmente com os pneus frios, inclusive reserva. Nunca reduza a pressão do ar enquanto os pneus estiverem quentes.
. Os pneus devem ser substituídos quando suas superfícies demonstrarem sinais de desgaste, mesmo que este seja somente parcial (ex.: desgaste irregular).
. Se ocorrerem furos ou maiores impactos, deve se verificar também a parte interna do pneu.
. Cumpra o código de velocidade e o índice de carga.
.Faça uma verificação geral de condição dos pneus regularmente.
.Nunca estacione sobre locais com óleo, solvente, etc.; eles podem causar danos aos pneus.

.Dicas de segurança
. Antes de montar o pneu, verifique o estado do aro. Aros danificados criam vibrações e reduzem a estabilidade da motocicleta.
. Após a montagem, examine o ajuste entre o aro e as bordas dos talões.
. Use sempre a pressão correta para cada tipo de pneu, o que proporciona maior vida útil, excelente capacidade de aderência ao solo e maior estabilidade da motocicleta.
. Verifique sempre a calibragem indicada pelo fabricante.
. Em caso de carga, evite o superaquecimento do pneu, aumentando a calibragem.
. Pneu novo requer uma câmara nova.
. A utilização incorreta do produto, bem como impactos violentos, podem originar fissuras internas nos pneus, que podem não ser percebidas de imediato.
. A vida útil do pneu depende também do bom uso e montagem.

Cuidados com a bateria

segunda-feira, dezembro 14th, 2009

É importante sempre ter cuidado com a parte elétrica de sua moto, principalmente com a bateria, confira algumas dicas para aumentar a durabilidade deste item:

1-) Dê partidas curtas, entre 5 e 7 segundosbateria
2-) Uma bateria descarregada pode ser identificada por dificuldade de partida, luzes fracas, problemas causados por regulador de voltagem desregulado, correia frouxa.
3-) Não aceite que testem sua bateria com cabos, fechando o curto-circuito entre os polos. Este procedimento, além de ser enganoso, pode prejudicar a bateria, fazendo-a ferver, o que não caracteriza defeito
4-) Faça um check-up na parte elétrica de sua moto regularmente
5-) Ao instalar qualquer opcional elétrico não original, verifique junto à rede autorizada se é recomendável a substituição da bateria devido ao aumento da demanda elétrica.

Fonte: Motovrum

Cuidado ao escolher uma oficina ou mecânico

quinta-feira, dezembro 3rd, 2009

Estas dicas vão principalmente para os motoqueiros de primeira viagem, que não conhecem muito bem a máquina que tem nas mãos. Se pessoas experientes já são alvos fáceis de mecânicos mal intencionados na hora que a moto da um probleminha, imagina os que não tem tanta experiência na área assim.

É recomendado antes de qualquer coisa, conhecer muito bem a sua motocicleta. Conhecer as peças e ler o manual faz com que o motociclista aprenda a localizar as peças e o nome certo de cada parte. Isto tudo para não ficar “boiando”oficinavalex quando for a uma oficina e ser um “alvo” fácil. Depois de adquirir este conhecimento e se sentir seguro, é chegada a hora de escolher uma oficina.

é importante conhecer uma oficina de confiança e saber o que fazer para não ser enganado. Se nenhum amigo ou conhecido souber indicar, faça uma consulta junto ao Instituto da Qualidade Automotiva (IQA), que é o órgão de certificação especializado no setor, que tem vinculo direto com o Inmetro.

Se o motociclista se sentir enganado, o Instituto deve ser procurado e a reclamação registrada. O IQA irá verificar o fato junto à oficina em busca de uma solução.

Fonte: Motovrum

Mantenha a moto sempre arrumada

segunda-feira, setembro 14th, 2009

Estudo realizado pela Abraciclo apontou que 90% das motos em circulação na capital paulista apresentam alguma necessidade de manutenção.

Segue então algumas dicas que devem ser inspecionados periodicamente para que sua moto funcione sempre com 100% de segurança.

Corrente: A corrente é responsável por transmitir o torque, ou seja, a força gerada pelo motor às rodas. Contudo, a necessidade da corrente é apenas a lubrificação, que deve ser feita a cada 500 km. O lubrificante mais recomendado para fazer a lubrificação é óleo do tipo 90, que é bem grosso.

Freios: Quando for a tambor a manutenção é mais simples e mais em conta. Como ele não se ajusta automaticamente é muito importante sempreoleo manter ajustado a folga do cabo ou do varão de acionamento do freio. No modelo a disco, por ser hidráulico ele se auto-ajusta, mas é preciso conferir sempre o nível de fluido do reservatório, geralmente no guidão.

Óleo do motor: O ideal é trocar o óleo do motor da motocicleta a cada 3.000 km, sempre em conjunto com o respectivo filtro. Em alguns modelos de baixa cilindrada o fabricante recomenda a troca entre 1.000 km. Por isso é recomendável sempre seguir as instruções do manual do proprietário.

Bateria: Ao menos uma vez a cada seis meses o nível da água da bateria deve ser verificado. Alguns indícios podem denunciar a falta de solução na bateria, como por exemplo, quando o farol enfraquece em marcha lenta e fica forte ao acelerar, ou então quando o pisca é acionado e a luz em geral pisca junto

Carenagem e suportes: Se a sua moto tiver carenagem é fundamental fazer um reaperto ao menos a cada dois meses, pois a vibração do motor tende a afrouxar os parafusos. O mesmo cuidado deve ser estendido para os suportes em geral, como por exemplo, um porta-bagagem, painel e acessórios variados.

Fonte: G1

Cuidado com o pescoço!

segunda-feira, julho 6th, 2009

pipa-cerolCom a chegada das férias aumentam os acidentes com as pipas (ou papagaio como é conhecida em outros Estados).  Empinar pipa  pode ser uma brincadeira divertida quando praticada de maneira segura, para quem empina e para os que estão por perto.

Uma recomendação de segurança é nunca empinar perto de rede elétrica e outra é não utilizar o temido cerol. A linha coberta com a mistura de vidro moído e cola, feita para cortar a pipa do amigo em uma disputa aérea, também corta o pescoço dos motociclistas.

Para nós, motoqueiros, resta redobrar a atenção, ficar de olho na pista e também em todo o redor - principalmente quando estiver perto de lugares mais abertos, como praças, avenidas e ruas largas e campinhos de futebol.

Uma boa pedida é instalar as antenas corta linha no guidão da moto. Pelo menos uma em cada lado do guidão, para não dar chance de um enrosco lateral.

Fonte: IG

Como manter a moto parada sem estragar a mesma?

terça-feira, junho 23rd, 2009

Digamos que você vá fazer uma longa viagem de mais de 3 meses para fora do país e não tem ninguém para ligar sua moto neste período. Como proceder para que ela esteja funcionando certinho, da maneira que você deixou quando estacionou a máquina na garagem?Existem alguns passos básicos:

1-) Se a moto for carburada, feche a torneira de gasolina e mantenha o motor funcionando até ele parar. Este procedimento irá esvaziar a cuba dos carburadores.

2-) Deixe a moto estacionada em um cavalete central.moto125

3-) Deslige os terminais da bateria.

4-) Evite deixar o tanque de gasolina muito vazio, quanto menos ar no tanque, menor a chance de oxidação.

E na hora que voltar de viagem? Também é necessário alguns cuidados especiais:

1-) Abra a torneira da gasolina e religue os terminais. Aguarde uns minutos até a gasolina preencher a cuba.

2-) Antes de dar a partida, acelere duas a três vezes até o final do curso. Puxe o afogador, se tiver, gire a chave.

IMPORTANTE: Caso a moto não ligue, não tente fazer ela pegar no tranco, porque o motor estará seco, sem lubrificação interna, e pode riscar camisa, pistão etc.

Fonte: Moto Online