Posts Tagged ‘esportiva’

Triumph confirma esportiva de 250 cc em Milão

segunda-feira, novembro 11th, 2013

11-11-2013-1

Como não podia deixar de ser, motoqueiros do Brasil, o Salão de Milão está bombando de novidades. E muitas chegarão ao mercado brasileiro.

Uma delas é a Triumph de 250 cc. A marca inglesa passará a montar uma moto pequena pela primeira vez em sua história. Será uma minisport pensada para mercados nos quais esse segmento faz sucesso.

Brasil está na rota, lógico!

A moto, porém, ainda é só um projeto (mesmo que já confirmado) e pintou por lá apenas como um desenho no telão. Portanto, nada de detalhes técnicos, apenas que a moto terá um cilíndro somente. O que suspeitamos é que seu design siga as linahs da esportiva média Daytona 675 (ah, vá…).

A moto deve ser vendida somente em 2015 e, segundo Paul Stoud, diretor mundial de vendas da montadora inglesa, ainda estão analisando se a moto será montada no Brasil ou importada.

Vai um palpite sincero agora: a Triumph monta nada menos que 15 modelos no Brasil. Você acha mesmo que deixará de montar por aqui um modelo de 250 cc, que tem a possibilidade de ser a moto mais vendida da marca, visto o gosto do brasileiro por esse segmento?

Até a próxima.

KTM mostra primeiras imagens de sua esportiva pequena

quarta-feira, julho 17th, 2013

17-07-2013-1

A australiana KTM já havia confirmado que entraria no mundo das esportivas pequenas. Agora eles revelaram as primeiras imagens da RC 390 Cup.

Por enquanto, é uma moto de competição, mas os diretores da montadora garantiram que ela servira de base para a moto de rua prometida para 2014, quando a moto de competição estreia nas pistas.

A RC 390 Cup tem motor monocilíndrico e 38 cv, com refrigeração líquida e injeção eletrônica. O modelo será utilizado na “ADAC Junior Cup”, um campeonato de motovelocidade de base na Alemanha.

Além da 390, a empresa planeja a RC 125 e RC200, todas baseadas na família de Duke. Como a KTM também planeja retomar as atividades no Brasil e até mesmo instalar uma fábrica por aqui, a chance de vermos essas motocas em nossas terras é muito alta. Vamos ficar na torcida.

Até a próxima.

Kawasaki prepara uma naked esportiva baseada na “Ninjinha”

terça-feira, janeiro 29th, 2013

29-01-2013-1

Correm boatos de que a Kawasaki está prestes a anunciar um modelo naked baseado na Ninja 300 cc. Segundo um respeitado blog da Indonésia (onde a Kawasaki produz a “Ninjinha”), uma bela naked será revelada ainda em fevereiro.

A naked pequena seria de 250 cc (lembrando que na Indonésia, a Ninjinha mantém essa motorização). Um dado que dá força ao boato é o aparecimento do registro de uma motocicleta ER 250 no banco de dados de marcas de veículos do Ministério da Indústria da Indonésia. A Kawasaki usa a denominação ER para suas nakeds, como a antiga ER5 e a atual ER6.

Não seria sonho se o Brasil também recebesse essa versão naked montada via CKD na fábrica da Kawasaki em Manaus, equipada com o propulsor de 300cc da nossa Ninjinha. O sudeste asiático já fabrica muitas motos vendidas por aqui (como a Honda CB 250R).

Seria uma concorrente de peso para a Yamaha e a Honda no segmento de nakeds pequenas de rua. Pela foto (ainda sem confirmação), o design é de primeira. Vamos aguardar novidades e torcer um pouco, claro.

Até a próxima.

Nova versão da Suzuki GSX-R 1000 K10

quarta-feira, novembro 24th, 2010

Mesmo com as mudanças, a nova geração da Suzuki GSX-R 1000 conseguiu ser atualizada sem perder sua identidade. A moto já chega a sua décima geração, ao longo dessa história de 25 anos.

O modelo foi lançado no exterior em 2009, e quando não traz a tecnologia eletrônica de sua concorrente, a BMW S 1000RR, ou então um sistema tão moderno de freios quanto da Honda CBR 1000RR. Porém, seu motor impressiona, assim como o chassi que tornam a pilotagem excelente.

O modelo da Suzuki conta com um sistema de exaustão que reduz as emissões de gás carbônico, e escapamentos inspirados em modelos usados na Moto GP, que são feitos de titânio e aço inoxidável.

É possível selecionar formas diferentes de gerenciamento do motor, com o S-DMS (Suzuki Drive Mode Selector) que foi reposicionado para facilitar seu acionamento. O sistema permite a escolha de uma forma de pilotagem de acordo com a preferência do condutor e as condições, como em pista fechada ou com chuva.

A posição de pilotagem é até confortável para uma superesportiva, já que a GSX-R1000 conta com pedaleiras ajustáveis e uma tampa substitui o assento traseiro para pilotagem solo.

Completo, o painel de instrumentos da Suzuki 1000 conta com display em LCD que traz várias informações: dois hodômetros (parcial e reserva), temperatura do líquido de arrefecimento, alerta de baixa pressão do óleo, cronômetro de volta, seleção do S-DMS e gráfico indicando a intensidade do brilho do painel, além de relógio.

O preço do modelo GSX-R 1000, será de aproximadamente R$ 58.900, que é considerado um bom valor por ser uma moto potente, com excelente chassi, porém que não conta com o visual e a tecnologia moderna das concorrentes.

FICHA TÉCNICA: Suzuki GSX-R 1000 K10

Motor: DOHC, 999cm³, quatro cilindros, 16 válvulas e arrefecimento líquido.

Potência máxima: 185 cv a 12.000 rpm

Torque máximo: 11,9 kgfm a 10.000 rpm

Alimentação: Injeção eletrônica

Câmbio: Seis marchas com transmissão final por corrente

Suspensão: Dianteira telescópica invertida totalmente ajustável; traseira por balança com monoamortecedor fixado por link totalmente regulável

Freios: Dianteiro com disco duplo flutuante de 310 mm de diâmetro com pinça de quatro pistões fixada radialmente; traseiro com disco simples com 220 mm de diâmetro com pinça de um pistão

Chassi: Trave superior em alumínio

Dimensões: 2.045 mm (comprimento) x 720 mm (largura) x 1.130 mm (altura); 810 mm (altura do assento ao solo); 130 mm (altura mínima do solo); 1.405 mm (entre-eixos)

Peso: 205 kg

Tanque: 17,5 litros

Cores: Branca/azul, cinza/preta e preta.

KTM vislumbra setor de motos populares

sexta-feira, julho 30th, 2010

A austríaca KTM é uma fabricante que está muito ligada ao esporte, seja por suas motos ou carros de cktm-logo-1ompetição. Mas não é só deste nicho que a empresa pretende viver.

Sob administração da indiana a Bajaj Auto Ltd, a KTM pretende entrar de cabeça no setor de motos populares, começando pelos mercados emergentes - onde o Brasil se enquadra.

Normalmente montadoras indianas e chinesas sofrem um certo preconceito no mundo das duas rodas, mas vale lembrar que a entrada da Bajaj no mercado popular se dará junto com a “grife” KTM, que certamente estará de olho no projeto e garantirá mais confiabilidade no produto final.

Fonte: MotorDream

Moto de Ouro 2010 já tem seus finalistas

quarta-feira, março 31st, 2010

Na noite de hoje (31/03) serão conhecidos os grandes vencedores do prêmio Moto de Ouro 2010. O evento, promovido pelas revistas MOTOCICLISMO e MOTO VERDE, divulgará quais são as motos preferidas dos brasileiros e os melhores pilotos de motocicletas do país.

motoouroA escolha das motocicletas foi feita por um júri popular, composto por leitores da revista, enquanto que os esportistas passaram por um júri especializado.

O prêmio Moto de Ouro faz parte do MOTORCYCLE OF THE YEAR, o maior prêmio de motocicletas do mundo, realizado pelas revistas do Grupo Motorpress em 13 países.
Confira abaixo os finalistas e suas respectivas categorias:

City
Honda CB 300R
Yamaha YBR 125 Factor
Kawasaki Ninja 250R

Trail
Sundown STX 125 Motard
Honda XRE 300 C-ABS
Yamaha XTZ 250X

Custom
Yamaha Midnight Star
Suzuki Boulevard 800
Harley-Davidson Night Rod Special

Touring
Harley-Davidson Ultra Electra Glide
BMW K 1300 GT
Honda GL 1800 Gold Wing

Esportiva
Suzuki 1300 Hayabusa
Honda CBR 1000RR C-ABS
Yamaha YZF-R1

Naked
BMW K 1300R
Honda Hornet C-ABS
Kawasaki Z750

Scooter/Cub
Suzuki Burgman 650
Honda Lead 110
Yamaha Neo 115

Maxitrail
BMW R 1200 GS Adventure
Honda Varadero 1000
Yamaha XT 660R

Moto Verde
Honda CRF 450R
Kawasaki KX 450F
Yamaha YZ 250F

Fonte: Terra

Suzuki GSX-R 750

sexta-feira, janeiro 22nd, 2010

suzuki_750_560

A Suzuki surpreende com seu modelo GSX-R 750 que corresponde a expectativa daqueles que querem ter uma máquina que alie status e prazer sobre duas rodas.

Uma moto esportiva, de motor mais manso, ideal para aqueles que pretendem ter uma grande moto nas mãos e que não tem muita prática em pilotar em altas velocidades. Mas não se engane! Apesar da potência menor, esse propulsor de quatro cilindros em linha acelera para valer.

Um atrativo que merece destaque neste modelo é o painel de instrumentos, com tacômetro analógico, velocímetro digital em tela de cristal líquido, e luzes indicadoras em LEDs e shift-light (luz de troca de marcha).

Ficha Técnica: Suzuki GSX-R 750

Motor: DOHC, 749 cm³, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, quatro tempos, refrigerado a líquido.
Potência: 150 cv a 13.200 rpm.
Torque: 8,8 kgfm a 11.200 rpm.
Alimentação: Injeção eletrônica, partida elétrica.
Câmbio: Seis marchas
Suspensão: Garfo telescópico invertido, com múltiplos ajustes (dianteira); monoamortecedor, com ajustes de pré-carga da mola (traseira).
Freios: Disco duplo de 310 mm de diâmetro e mordido por pinça de quatro pistões (dianteiro); disco simples de 210 mm de diâmetro e pinça de um pistão (traseiro).
Pneus e rodas: 120/70 ZR 17 (dianteira), 190/50 ZR 17 (traseira).
Dimensões: 2.400 mm (comprimento); 715 mm (largura); 1.125 mm (altura); 1.415 mm (entre-eixos); 810 mm (altura do assento).
Peso: 163 kg (a seco).
Tanque: 16,5 litros.
Cores: Preta, preta e laranja e azul.
Preço: R$ 54.670

Fonte: Infomoto

Moto elétrica ou provedor de Internet?

sexta-feira, novembro 27th, 2009

malzen

Sobre motos elétricas você já cansou de ler aqui no blog, mas uma motocicleta que, além de elétrica, serve para você navegar na Internet é novidade!

A Mavizen apresentou a esportiva Mavizen TTX02, que como falamos é elétrica e foi construída em cima do chassi da KTM RC8. Agora vem o diferencial, a moto possui um sistema Linux com conexão a internet via Wi-Fi.

Entradas USB possibilitam a instalação rápida de qualquer acessório periférico e quando conectada à internet a moto poderá requisitar suporte técnico a qualquer momento. Seu painel com uma tela de LCD permite ainda acesso à Web pela conexão Wi-Fi.

Mas o melhor de tudo é que além desta parafernália eletrônica, a moto consegue chegar - com motor elétrico - a 210 km/h, com 65 km de autonomia. O preço na Europa será de £25 mil.

Fonte: Best Car

Kawasaki Ninja 250R

quinta-feira, outubro 1st, 2009

ninja250r11

A moto pode ser considerada a “caçula” da família Ninja, incluindo a carenagem, a moto lembra em todos aspectos as suas irmãs maiores, exceto por dois motivos: preço e potência.

A Kawasaki 250R foi projetada para os motociclistas iniciantes e por isto possui os semi guidões mais altos e as pedaleiras posicionadas mais à frente, que não deixam as pernas tão flexionadas. Uma postura mais ereta e menos esportiva que o habitual.

Ficha Técnica: Kawasaki Ninja 250R

Motor: DOHC, 249 cm³, 4 tempos, 2 cilindros paralelos, refrigerado a água.
Diâmetro e curso: 62,0 mm x 41,2 mm. Taxa de compressão: 11,6:1.
Potência: 33 cv a 11.000 rpm.
Torque: 2,24 kgfm a 8.200 rpm.
Transmissão: Câmbio de seis velocidades com transmissão final por corrente.
Combustível: Sistema de injeção eletrônica com partida elétrica.
Embreagem: Multidisco banhado a óleo.
Quadro: Tubular em aço do tipo diamante.
Suspensão: Garfo telescópico de 37 mm, com 120 mm de curso, na dianteira; Uni-Trak com amortecedor a gás, com cinco ajustes na pré-carga da mola e 130 mm de curso, na traseira.
Rodas e pneus: 110/70-17M/C (54S) na dianteira
e 130/70-17M/C (62S) na traseira.
Freios: Disco de 290 mm, com pinça de duplo pistão (dianteiro) e disco de 220 mm, com pinça de duplo pistão (traseiro).
Dimensões: 2.085 mm de comprimento, 715 mm de largura e 1.115 mm de altura. Entre-eixos de 1.400 mm, 130 mm de altura para o solo e 775 mm de altura do assento ao solo.
Tanque: 17 litros.
Peso: 152 kg.
Preço: R$ 15.550.

Fonte: UOL

Ducati 1098S

quarta-feira, junho 17th, 2009

ducati_1098s1

Cuidado para não estragar o teclado, pois é certeza que você vai babar quando conhecer melhor esta super máquina, a Ducati 1098S.

Ela é a primeira superbike da marca italiana a superar os quatro dígitos de capacidade no tradicional motor de dois cilindros em L (um V2 a 90°). Com equipamento profissional e preço de R$ 83.900, Ducati 1098S está pronta para a pista

Ficha Técnica:

Motor: Quatro tempos, 1.099 cm³, dois cilindros em L a 90°, quatro válvulas, comando desmodrômico e refrigeração líquida.
Transmissão: Câmbio de seis marchas com transmissão final por corrente.
Potência: 161 cv a 9.750 rpm.
Torque: 12,5 kgfm a 8.000 rpm.
Diâmetro e curso: 104 mm x 64,7 mm.
Taxa de compressão: 12,5:1
Alimentação: Injeção eletrônica Magnetti Marelli.
Suspensão: Garfo telescópico invertido (upside-down) Öhlins totalmente ajustável com 120 mm de curso na dianteira; traseira monobraço em alumínio com conjunto mola-amortecedor Öhlins ajustável com 127 mm.
Freios: Disco duplo semi-flutuante de 330 mm de diâmetro e pinças monobloco Brembo fixadas radialmente, na dianteira; disco simples de 245 mm de diâmetro com pinça de dois pistões, na traseira.
Pneus: 120/70-ZR17 (dianteiro); 190/55-ZR17 (traseiro).
Tanque: 15,5 litros.
Peso: 171 kg.
Cores: Preta com vermelho.
Preço: R$ 83.900.

Uma inovação eletrônica de série na versão S é o Ducati Data Analyzer , ou seja, um sistema que analisa e armazena dados como tempo de volta, frenagens, velocidade máxima, entre outras coisas. Para extrair este dados é só se conectar na pequena entrada USB que fica sob o banco.

O preço salgado é compensado pelo belo design, tecnologia e ciclística incrível que está supermáquina possui. Poderia ser chamada de Ferrari de duas rodas?

Fonte: Infomoto/Uol