Posts Tagged ‘filme’

Ducati e Audi em ação conjunta para o novo filme de Wolverine

terça-feira, julho 30th, 2013

30-07-2013-1

Colega motoqueiro, caso você não saiba, a Ducati hoje pertence ao grupo Volkswagen. E o principal direcionamento do grupo alemão para a montadora italiana foi aproximá-la da Audi (também pertencente a VW). Depois de umas pinturinhas especiais num A3 com as cores da Itália, agora eles fizeram uma divulgação conjunta de verdade.

Aproveitaram, sabiamente, a estreia mundial do filme Wolverine: Imortal. Preparam um vídeo todo caprichado (que também deu origem a um pôster oficial do filme) em que três Ducatis Diavel Crome e um Audi R8 saem em alta velocidade, deixando rastros de luz que, no final, formam a mão do herói com as três garras características. Confira aqui.

O filme, que estreou na última sexta-feira no Brasil, é a segunda aventura solo do personagem mais carismático dos X-Men. Nesse longa, ele enfrenta problemas com sua suposta imortalidade (como seu poder especial é de cura quase instantânea, ele também serve para retardar absurdamente o envelhecimento e o protege de quase tudo que pode matar). Mas isso nem sempre é bem vindo (os mais velhos se lembram da série Highlander, quando o personagem passa a odiar a imortalidade porque perde justamente para a morte todas as pessoas próximas? Pois é, tinha até uma bela canção do Queen para o filme que indaga: “Who wants to live forever?”.

Mas se você pretende encontrar várias Ducatis Diavel Crome no filme, pode esquecer. Ele é ambientado num passado no Japão…

Até a próxima.

O aventureiro dentro de cada um de nós

quarta-feira, fevereiro 27th, 2013

27-02-2013-1

Olá, motoqueiros de plantão. Há poucos dias falamos da moto no cinema e como essa mídia pode ser usada para divulgar novidades no mercado. No entanto, outro filme me chamou a atenção e não porque dessa vez divulga um novo produto, mas porque mexe com o “aventureiro” dentro de cada um de nós.

O filme tem um roteiro que soa batido: um homem perde o emprego e a mulher e, na companhia de sua moto, faz uma viagem para encontrar a si mesmo. Mas o filme em questão tem outro detalhe que faz com que todos gostariam de ser Sanders (personagem central). Ele é contratado para escrever um guia dos melhores bares de estrada do oeste americano. Antes de partir conhece um senhor em um bar (lógico) que parte junto.

Mas, independentemente do enredo, a ideia me tecou por outro meio. Existe uma sabedoria e tranquilidade que apenas a estrada e os bares nos dão. E em companhia de algum(s) amigo(s).

Acredito que toda ego trip deveria passar por uma estrada (real e metafórica) e por um bar (real e metafórico). E também precisa de algumas companhias.

Primeiro, a estrada. Lá, sua conexão com si próprio e com sua moto é total. O cenário, apreciado sem pressa, é um perfeito pano de fundo para nossa sensação de liberdade, para nosso momento de “meditação” e liberdade. Assim como a vida, é a moto que diz quando trocar de marcha e não quando você quiser e a intenção é encontrar uma forma confortável de seguir viagem.

Os bares. Campo para quem busca pessoas interessantes, com histórias de vida incríveis, alguém que falará sobre um livro ou um filme que você não conhece ou topará partir junto com você, bêbado, para algum lugar inusitado (real ou imaginário). Imprevisíveis como a vida. Podem ser banais e, depois de horas, você se encontra no mesmo lugar. Mas podem ocasionar algo que te tira dos eixos.

Sem contar que, como diria Nelson Rodrigues, “só na ressaca o homem é perfeito”. Tudo o que se faz no bar, para todos os efeitos, tem consequências, maiores ou menores.

E o(s) amigo(s). Essa é simples. Pense nos grandes momentos da sua vida. Em quantos deles você estava completamente sozinho? Até a mais particular conquista e felicidade foi amplificada ao ser dividida. E, ao contrário do que se pensa, dividir é mais do que somar. Dividir é multiplicar.

Por isso, querido motoqueiro, se você ainda não fez uma boa viagem e parou em um bom bar na companhia de um bom amigo, não perca mais seu tempo. E sem pressa de chegar ou voltar, não importa a distância.

Por enquanto, curta o trailer do filme, chamado de “The best bar in America”, que será lançado direto no DVD e no iTunes. O longa ainda guarda o charme de ser uma produção independente e sem contar com muitos recursos. Todos os bares que aparecem na fita realmente existem e todos os coadjuvantes são realmente frequentadores daqueles bares.

Confira o trailer:

Filmes com moto, que bela combinação!

terça-feira, junho 16th, 2009

Nada como um bom filme, se for com motos então, melhor ainda! Confira as opções, com sinopses, de bons vídeos para curtir acompanhado de uma boa pipoca!

Diários de Motocicleta (The Motorcycle Diaries)
Em 1952, o futuro líder da Revolução Cubana Che Guevara (Gael García Bernal) era um jovem estudante de medicina. Ele e seu amigo Albertofilmes Granado (Rodrigo De La Serna) viajam pela América do Sul em uma velha moto, arranjando caronas e fazendo longas caminhadas. Depois de passar por Machu Pichu, chegam a uma colônia de leprosos na Amazônia Peruana, onde começam a questionar o valor do progresso econômico.

Motoqueiro Fantasma (Ghost Rider)
Johnny Blaze (Nicolas Cage) era apenas um motociclista dublê adolescente quando vendeu sua alma para o diabo (Peter Fonda). Anos depois, Johnny é um famoso motoqueiro radical durante o dia, mas à noite, se transforma no Motoqueiro Fantasma, o lendário personagem da Marvel Comics. Como justiceiro do diabo, ele é encarregado de caçar almas maldosas na Terra e levá-las ao inferno. Mas quando o destino resolve lhe pregar uma peça trazendo o seu grande amor (Eva Mendes) de volta à sua vida, Johnny percebe que pode ter uma segunda chance de ser feliz - se vencer o diabo e ganhar sua alma de volta. Para conseguir o que deseja, ele terá que derrotar Coração Negro (Wes Bentley), o rebelde e perverso filho do demônio, cujo plano de assumir o reinado de seu pai trará o inferno à Terra - a não ser que o Motoqueiro Fantasma possa impedi-lo.

Motoqueiros Selvagens (Wild Hogs)
Bobby (Martin Lawrence), Doug (Tim Allen), Dudley (William H. Macy) e Woody (John Travolta) são amigos veteranos que se vestem como motociclistas radicais, mas estão um pouco longe disso. No entanto, em busca de aventura, eles resolvem pegar a auto-estrada, mas se metem em encrencas quando encontram uma violenta gangue de motoqueiros do México conhecida como Del Fuegos.

Desafiando os Limites (The World Fastest Indian)
Filme que conta a história real de um homem neozelandês que com coragem e dedicação realizou seu grande sonho ao participar de uma competição disputada de motociclistas em Salt Lake, Utah, nos Estados Unidos, conhecida como Speed Week, nos anos 60. Ele é Burt Munro, em interpretação elogiada de Anthony Hopkins, um homem que pega uma motocicleta Indian 1920 e monta toda ela com seus próprios recursos para deixá-la pronta para a competição. Contra todas as expectativas e prognósticos, ele consegue deixar sua moto em ponto de bala e participa da competição, não somente vencendo, mas também quebrando o recorde do desafio. Durante as filmagens, o filho do competidor visitou o set e chegou a chorar quando viu Anthony representando seu pai, tamanha a fidelidade de sua interpretação.

Hot Rod: Loucos Sobre Rodas Fúria em duas rodas
Rod é um dublê com um falso bigode que nunca deu um salto sem quebrar a cara. Sua família e seus amigos pensam que ele é uma piada. E ainda por cima seu padrasto Frank o usa como seu saco de pancadas pessoal. Mas Andy não vai deixar que alguns “probleminhas” de nada o impeçam de realizar a maior façanha de sua vida!

Fúria em duas rodas (Torque)
Cary Ford (Martin Henderson) é um motociclista que tem recebido constantes ameaças de um velho rival, por causa do assassinato de um integrante de outro grupo de motoqueiros. Temendo ser assassinado por Trey (Ice Cube), irmão do motoqueiro morto, Cary decide fugir. Porém, Trey e várias gangues partem em seu encalço.

Motoboys: Vida Loca
Existe um grupo vital para a sociedade moderna, fiel entre si, independente, rebelde e com sua própria ética e moral. Dono de um comportamento suspeito e pro vezes ilegal, esse proletariado urbano surgiu sem qualquer planejamento, como uma geração espontânea underground, para se transformar no fenômeno paulistano mais polêmico da atualidade. Um grupo que cresce mês a mês (em números assustadores), e com o poder de imobilizar toda a economia de uma metrópole do porte de São Paulo com uma simples greve. Motoboys, muito prazer.

Corridas Clandestinas (Biker Boyz)
Manuel Galloway (Laurence Fishburne) é o líder de uma trupe de motoqueiros que reúne, principalmente, homens de negócio negros que, sempre que possível, deixam o trabalho para pilotar suas próprias motos. Galloway tem como principal meta manter com sua trupe o título de um campeonato realizado em Fresno, assim como ensinar a seu filho a arte de pilotar uma moto.

Os 12 Trabalhos
Recém-saído da Febem, Heracles (Sidney Santiago) tenta superar seu passado em busca de um serviço honesto como motoboy. Para conseguir o emprego, o adolescente tem de realizar doze tarefas cruzando todos os bairros paulistas e suas armadilhas. Uma leitura contemporânea do mito de Hércules no caos urbano de São Paulo.

Fonte: Moto.com.br