Posts Tagged ‘lei’

Capacetes - A série

sexta-feira, janeiro 21st, 2011

capacetes-fly

Hoje daremos início a uma série especial sobre capacetes.

Além de um item fundamental para a segurança e equipamento previsto por lei para todos os motoqueiros, o capacete traduz um pouco do estilo de cada motoclista, além de possuírem características que se adaptam aos mais variados tipos de situaçõs.

Integrais: São fechados, com formato que confere maior resistência a toda a estrutura.
Ponto Negativo: Têm facilidade para embaçar a viseira e são quentes nos dias de calor, além de mais caros.

Ponto Positivo: Oferecem maior proteção (por isto o alto preço) e têm muito mais materiais e funcionalidades como canais de circulação de ar, forros removíveis, e etc.
Todo Terreno: Têm um formato muito próprio que inclui uma proteção para os diversos tipos de terreno, incluindo contra pedras, lama e poeira. Indicado para esportes.

Híbridos: Permitem abrir/deslocar para cima à parte do queixo do capacete.

Ponto Positivo: Ideal para grandes viagens, pois permitem descansar um pouco a cabeça e respirar melhor nas paradas, sem ter que retirar o capacete. Indicado para quem utiliza óculos.

Abertos: Protegem apenas as orelhas e as partes laterais do rosto. O nível de segurança deste capacete é baixo, não possui proteção para o queixo e grande parte não tem viseira. A falta de aparato mais seguro reduz o preço deste capacete que é indicado para uso na cidade.

Coquinho: No Brasil o uso é ilegal, cobre apenas a parte superior da cabeça. Utilizado normalmente para demonstrações e motociclistas de “Harleys”.

Doença de Parkinson e moto, uma combinação perigosa

segunda-feira, junho 14th, 2010

Doença de Parkinson e moto é uma combinação perigosa e que definitivamente não combina por conta de uma série de sintomas prejudiciais a pilotagem, oferecendo riscos ao piloto e as pessoas ao seu redor.parkinson

Os principais sintomas da doença são tremores e rigidez dos membros movimentos lentos e alterações no equilíbrio, problemas que desqualificam o motoqueiro a exercer uma pilotagem segura.

Confira abaixo os problemas que cada sintoma deste proporciona ao piloto na hora de conduzir sua moto:

Tremor: pode afetar mãos, braços, pernas, pés e pescoço (segmento cefálico). O tremor é contínuo e prejudica a firmeza na pega ao guidão.

Rigidez muscular: ocorre durante a flexão e extensão das articulações, dificultando os movimentos.

Bradcinesia: caracteriza pela dificuldade em executar os movimentos. O portador da Doença de Parkinson tem dificuldade em iniciar os movimentos, o que atrasa as ações, aumentando o risco de acidentes pelo retardamento do tempo de reação.

Alterações dos reflexos posturais: geram dificuldade para o paciente se reequilibrar-se quando desequilibrado.

Fonte: Motovrum

Moto marcada e protegida

quarta-feira, maio 5th, 2010

relevomotoO deputado Vanderlei Siraque criou um projeto de lei - já aprovado na Assembleia Legislativa - para de regulamentar a comercialização de peças usadas. Agora, segundo a legislação, as peças somente poderiam ser comercializadas com a gravação dos 17 caracteres integrantes do número do chassi do veículo em baixo relevo.

A medida surge para tentar dificultar o roubo de motos com a finalidade de desmontar a máquina para revender as peças no mercado.

A ideia é boa, mas ainda não tem surtido o efeito desejado. Segundo a Secretaria de Segurança Público houve um aumento de 72% no número de roubos e furtos de veículos, passando de 60 mil em 2008 para mais de 100 mil em 2009.

Para o deputado autor da lei isto acontece por conta da falta de fiscalização, função que fica a cargo do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Mas isto pode mudar graças a uma ação conjunta da Associação Brasileira de Distribuidores Honda (Assohonda) que reúne mais de 700 concessionárias da marca, e da Grav System, empresa especializada em gravação de baixo relevo.

Juntas elas criaram o “Moto Protegida” que consiste em um sistema de gravação em baixo relevo que registra o número de identificação “chassi” daquela moto em várias peças, tais como para-lamas, rodas, tanque, banco, tampas laterais, escapamento, farol, painel, entre outras, impossibilitando que elas venham a ser utilizadas em outras motocicletas.

O “Moto Protegida” não vem de fábrica e cabe ao comprador da motocicleta decidir se que utilizar o serviço ou não, pagando uma taxa de R$ 180. A aplicação leva 20 minutos e após o processo o proprietário receberá um cartão que será utilizado na substituição de peças adquiridas dentro das concessionárias.

Várias concessionárias Honda da Grande São Paulo já foram habilitadas pela Grav System e estão comercializando esta proteção.

Fonte: Motovrum

Cadastramento de moto taxistas em Cuiabá

sexta-feira, abril 2nd, 2010

Enquanto em algumas cidades se discute se é certo, ou não, regulamentar a profissão de moto taxista, em Cmototaxicbuiabá o processo já está bem adiantado.

A Capital do Estado de Mato Grosso iniciou na última terça (30/03) o cadastramento dos profissionais que atuam na cidade.

O cadastramento conta com grande apoio do prefeito, Wilson Santos, que não está medindo esforços para oficializar a profissão.

Os profissionais devem procurar a SMTU para obter a ficha para o cadastramento e liberação do alvará, que garante mais segurança para os trabalhadores.

As outras cidades poderiam se inspirar, não?!

Fonte: Jornal O Documento

Garupa: Só depois dos 7 anos

segunda-feira, março 29th, 2010

garupaLevar o filho (sobrinho, primo, cunhado etc) para a escola, para aproveitar um sábado de sol ou então curtir um simples passeio pelas ruas da cidade em cima de uma motocicleta somente deve ser feito se o passageiro for maior de 7 anos.

É isto o que diz a lei, que considera o descumprimento desta norma uma infração gravíssima, e que pode custar R$ 191,54 no bolso do motociclista e a suspensão do direito de pilotar.

Mas, mesmo que a criança já tenha mais de sete anos, é importante ficar atento se ela terá condições de ocupar a garupa com segurança. Ensine ela a se segurar com as mãos e com a força das pernas e cuidado para evitar o máximo possível os solavancos.

Fonte: Revista Mundo da Moto

Calçada é para pedestre

sexta-feira, março 5th, 2010

Tem vezes que nem de moto conseguimos “furar” o caótico trânsito das grandes cidades. Você olha pra frente e a rua lotada, com corredores fechados e nenhum sinal de espaço para andar. Eis que você olha para o lado e vê aquela calçada vazia… bate aquela vontade de invadir a calçada não é mesmo?TRANSITO

Pois é, mas este desejo deve ficar apenas na vontade mesmo. As calçadas são para o uso exclusivo de pedestres e só podem ser utilizadas pelos veículos para acesso a lotes ou garagens.

Se infringir está norma, estaremos colocando em risco o nosso bolso (com multa) e a vida daqueles que circulam por este espaço e, porque não a nossa própria.

Portanto, resta torcermos para que as motofaixas sejam construídas o mais rápido possível e respeitar as normas e sinalizações de transito.

Fonte: Motosegurança

Moto no corredor, a discussão continua

terça-feira, dezembro 1st, 2009

O assunto parece velho, mas nossos legisladores nunca permitem que ele saia de pauta. Motos no corredor ou não? Segundo a proposta de lei, não.corredor311 Das medidas aprovadas na 1ª revisão do código de trânsito brasileiro pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara, está a proibição das motocicletas de circular entre os outros veículos.

Mas existe uma exceção: Pode trafegar pelos carros desde que o trânsito esteja parado e a moto em uma velocidade moderada.

Caso o motociclista desrespeite a regra, será multado em R$ 191,54. Mas não se desespere, para entrar em vigor, a lei ainda precisa ser aprovada pela Comissões de Finanças e Tributação e Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado para ser regulamentado.

Fonte: Terra

Pedágio para motos

terça-feira, setembro 8th, 2009

motopedagiosNa última quarta (02) uma polêmica voltou a tona durante reunião Comissão de Transporte e Comunicações da Assembléia Legislativa de São Paulo: cobrança de pedágio de motocicletas.

Segundo Mauro Arce, secretário estadual, as tarifas para motocicletas devem se estender a todas as praças de pedágio do estado de São Paulo, a exemplo do que já ocorre nas concessões mais recentes.

O dinheiro arrecadado pela cobrança das motos será investido na segurança das estradas e o valor deve ser de 50%, em relação ao cobrado aos carros.

Você considera justo esta cobrança?

Fonte: Terra

Senado aprova regulamentação a mototáxi e motoboy

quinta-feira, julho 9th, 2009

Na noite desta última quarta-feira (8) o Senado aprovou o projeto de lei que regulamenta as profissões de motoboy, mototaxista e motofrete. Falta apenas a lei ser sancionada pelo presidente Lula para que entre em vigor.

A proposta prevê os seguintes itens:_mototaxi

1-) Idade mínima de 21 anos para o exercício dessas profissões.

2-) Habilitação por, no mínimo, dois anos na categoria de motos.

3-) Antena “corta-pipa” e colete refletor serão itens obrigatórios.

4-) Caberá às câmaras de vereadores definirem em cada município regras específicas, como se poderá haver ou não mototáxi para transporte de passageiros.

5-) É necessário ser aprovado em curso do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) para exercer a profissão.

Obs: O Contran ficará encarregado de definir as punições para os profissionais que descumprirem a nova lei.

Fonte: Agência Estado

Recurso derruba projeto de lei que proíbe tráfego de motos entre os carros

sexta-feira, abril 24th, 2009

Nesta quarta-feira (22), o recurso 254 contra a apreciação conclusiva das comissões - que previa a proibição das motocicletas de circularem entre os carros - foi apresentado na Câmara dos Deputados.

De acordo com o parlamentar Jair Bolsonaro (PP-RJ), agora o projeto precisa ser apreciado pelo plenário da Câmara antes de ir ao Senado Federal.

Juntamente com o deputado federal Willian Woo (PSDB-SP), Bolsonaro recolheu cerca de 90 assinaturas no recurso, sendo que eram necessárias apenas 51 para barrar a medida 2650/03, aprovada na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) no último dia 7 de abril.

A lei determina que o motociclista deverá observar a distância lateral de 1,5 m dos carros em circulação

Assim, o projeto de lei entra na ordem do dia e não existe prazo normal para ser votada, já que as medidas provisórias têm prioridades na pauta do legislativo.

Fonte: Terra