Posts Tagged ‘motor’

Harley pediu água

terça-feira, agosto 20th, 2013

20-08-2013-1

É, colega motoqueiro, até a H-D pediu água pra 2014. Mas não pense que as vendas estão ruins para a mítica montadora de Milwaukee. É que finalmente a Harley vai utilizar refrigeração líquida em algumas de suas motos.

O novo motor, chamado “Twin-Cooled High Output Twin Cam 103″, com 1.700 cc, equipará somente a linha touring Ultra Limited e Tri-Glide e, na verdade, tem uma proposta inovadora para a marca. A refrigeração será mista de ar com líquido.

Além do motor, a linha 2014 dessas “crianças” traz inédito painel com tecnologia touch screen. Outros modelos foram também redesenhados e quase todos ganharam melhoras nos freio e na ergonomia, sem contar que estão com acabamento não menos que espetacular.

É, parece mesmo que a volta a Indian e o crescimento da Victory fez a H-D acordar e dar uma mexida em sua já icônica lista de motocicletas. Qual será que chega no Brasil? Façam suas apostas.

Até a próxima.

Cortar grama rapidamente

quinta-feira, julho 18th, 2013

18-07-2013-1

Você deve estar pensando, colega motoqueiro, o que isso tem a ver com motos. A princípio, absolutamente nada. Mas, em parceria com uma equipe do Campeonato Britânico de Turismo, a Team Dynamics, a Honda do Reino Unido decidiu criar um cortador de grama: o Honda Mean Mower.

Não tem nada demais nisso, afinal a Honda já vende ser trator cortador de gramas para uso em áreas pequenas na Europa, o HF2620. Acontece que esse novo cortador de grama, o tal Mean Mower, atinge a velocidade de 210kh/h!

Sim, parece bizarro, mas não é. Ele é equipado com o motor V2 da antiga Honda VTR 1000F Superhawk de 1.000 cc e 109 cv de potência. Ele também tem suspensões de um AVT da Honda e chassi em aço cromo e câmbio de seis marchas.

Não satisfeito em ser o cortador de grama mais rápido do mundo, o Mean Mower também é mais eficiente. Ele conta com dois motores elétricos que giram cabos de aço de 3 mm. Os cabos cortam a grama a uma velocidade de 25 km/h, isso, garante a Honda, é duas vezes mais rápido que os cortadores “normais” da marca.

Se você morasse na Europa ou nos EUA, poderia até arrumar um bico e cortar a grama da vizinhança, diz aí.

Até a próxima.

Honda amplia mais uma linha, a CG 15 Fan.

sexta-feira, novembro 5th, 2010

A Honda mais uma vez está em uma de nossas matérias, e mais uma vez com novidades. Impulsionada pelo sucesso de vendas, a Honda amplia sua linha Flex com o lançamento da CG 150 Fan.

A nova motocicleta reúne o sistema Flex (com a tecnologia Mix Fuel Injection), sistema de injeção eletrônica de combustível (PGM-FI) e partida elétrica. O modelo será comercializado em duas versões: a primeira é a ESi, com partida elétrica e injeção eletrônica PGM-FI; e a segunda ESDi, com o diferencial do freio dianteiro a disco, que proporciona mais segurança e conforto ao usuário.

O modelo conta com o motor OHC (Over Head Camshaft), resistente, durável e confiável, apresenta torque máximo de 1,32 kgf.m a 7.000 rpm e potência de 14,2 cv a 8.500 rpm. É alimentado por sistema de injeção eletrônica PGM-FI (Programmed Fuel Injection), de forma que a moto responde de forma mais imediata ao comando do acelerador..

Com design de linhas retas e marcantes, a moto transmite força e potência. Conta com capacidade de armazenamento de 16,1 litros de combustível, o tanque permite um encaixe confortável para as pernas do piloto.

O escapamento em aço inox, conta com protetor cromado na maior parte de sua extensão, garantindo assim uma maior segurança aos usuários. Para auxiliar o piloto quanto ao funcionamento da moto, o painel vem com a luz “ALC”, que acende sempre que houver mais de 80% de etanol (álcool) no tanque e piscará em condições de temperatura ambiente abaixo de 15°C.

Além disso, apresenta velocímetro, hodômetro total, marcador de combustível, luzes indicadoras de neutro, direção e farol alto, além da lâmpada de diagnóstico da injeção eletrônica localizada no lado esquerdo.

O assento em dois níveis é sinônimo de conforto tanto para o piloto quanto para o garupa, devido ao seu tamanho e formato ergonômico. A moto mostra agilidade, boa dirigibilidade e estabilidade para manobras urbanas.

O modelo que será comercializado a partir deste mês de Novembro, estará disponível nas seguintes cores: vermelha, preta e metálica. Os preços sugeridos são de R$ 6.290, 00 para os modelos na versão ESi, enquanto os modelos ESDi custarão R$6.590,00. Esse valores, valem para o Estado de São Paulo, e não contam com frete e seguro.

Na hora de comprar uma usada fique de olho no número do motor

segunda-feira, junho 28th, 2010

O número de chassi e RENAVAM são importantes e merecem atenção na hora de se comprar uma moto usada, mas também é importante ficar de olho no número do motor para não enfrentar problemas futuros e manter sua moto motormotoregularizada.

Segundo o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP), o decalque dos caracteres do motor passará a ser obrigatório para proprietários que necessitarem fazer registro, transferência ou vistoria de seus veículos.

Para aquelas motos que têm o número, mas não estiver visível, é preciso fazer uma declaração na qual deverá constar a numeração do motor. Esse documento deverá ser obtido junto a estabelecimentos autorizados pelo órgão de trânsito de registro do veículo.

Para que tudo esteja correto, a numeração deve estar no bloco do motor e não mais em placas afixadas nos motores, como era feito antigamente.

Para os motores novos e sem número, é exigido um requerimento do interessado com firma reconhecida por autenticidade.

Fonte: Motovrum

Kasinski Mirage 150

sexta-feira, março 26th, 2010

kasa

De preço competitivo e bom nível de acabamento a Kasinski Mirage 150 chega para bater de frente com suas concorrentes. A custom de baixa cilindrada - e de tecnologia chinesa - se destaca por ser uma moto urbana, mas sem vocação para ser uma máquina utilitária.

Segundo a Infomoto, que testou a máquina, ela não é uma moto aconselhada para dias chuvosos. Além do mostrador de combustível, que foi infiltrado durante o teste na chuva e acabou embaçado, foi informado que em pista molhada atenção deve ser redobrada graças aos pneus chineses que comprometem a dirigibilidade.

Ficha Técnica: Kasinski Mirage 150

Motor: Monocilíndrico, 149,4 cm³, OHC, quatro tempos, refrigerado a ar.
Potência: 13,4 cv a 8.000 rpm.
Torque: 1,38 kgfm a 6.000 rpm.
Alimentação: Carburador PZ 27; partida elétrica e a pedal.
Câmbio: Cinco marchas; embreagem com multidiscos banhados em óleo.
Quadro: Tubular em aço.
Suspensão: Dianteira telescópica, com 135 mm de curso; traseira bichoque ajustável, com 55 mm de curso.
Freios: Dianteiro a disco simples de 240 mm de diâmetro; traseiro a tambor, com 135 mm de diâmetro.
Pneus e rodas: Dianteiro 2.75/18, com roda de liga leve; traseiro 3.50/16, com roda de liga leve
Dimensões: 2.160 mm x 1.100 mm x 80 mm (CxAxL); 1.400 mm (entre-eixos); 140 mm (altura mínima do solo).
Tanque: 13 litros.
Preço: R$ 5.390

Fonte: Infomoto

Yamaha Fazer 2011

quarta-feira, fevereiro 17th, 2010

fazer

A nova Yamaha YS 250 Fazer chega ao mercado como modelo 2011 e remodelada no design, com destaque para a adoção de um conjunto óptico muito similar ao utilizado pela XJ6 N.

A moto ganhou ainda um novo painel de instrumentos, com visor de cristal líquido, rabeta ascendente com lanterna triangular em LEDs , além de nova alça para a garupa e rodas de liga leve com desenho mais moderno.

Ficha Técnica: Yamaha YS 250 Fazer

Motor: Monocilíndrico, 250 cm³, OHC, quatro tempos, refrigerado a ar.
Potência: 20,7 cv a 8.000 rpm.
Torque: 2,1 kgfm a 6.500 rpm.
Alimentação: Injeção eletrônica.
Câmbio: Cinco marchas com transmissão final por corrente.
Quadro: Berço duplo em aço.
Suspensão: Garfo telescópico com 120 mm de curso (dianteira); balança monoamortecida com 120 mm de curso (traseira).
Freios: Dianteiro a disco de 282 mm; traseiro a disco de 220 mm.
Dimensões: 2.065 mm x 745 mm x 1.065 mm (CxLxA); 1.360 mm (entre-eixos); 190 mm (altura do solo); 805 (altura do assento ao solo).
Tanque: 19,2 litros (4,5 l na reserva).
Peso: 137 kg.
Preço: R$ 10.950.

Fonte: Infomoto

Metalblack: moto movida a biodiesel

sexta-feira, fevereiro 12th, 2010

metalback

Uma moto com motor V4 e aparência esportiva é sempre de se encher os olhos. Mas em seguida a isto já vem o pensamento de quanto custa a máquina e o tanto que ela deve “beber” nas ruas e estradas.

Porém a Metalblack é diferente. A moto projetada pelo renomado designer Jordan Meadows utiliza materiais recicláveis e é movida a biodiesel, o que faz dela um modelo verde, com muito mais autonomia que uma moto “normal”.

Seu chassi e carenagens são feitos de alumínio reciclado e o motor - como já falamos acima - é o biodiesel, produzido de forma renovável através de óleos vegetais ou gorduras de animais.

Quanto ao preço ainda não é possível afirmar nada pois a máquina não passa de um ousado projeto que poderá, ou não, ganhar as ruas.

Fonte: Terra

Ligando e desligando a moto

segunda-feira, fevereiro 1st, 2010

onoff655pxNão existe muito mistério na hora de desligar sua moto, mas seguir algumas orientações pode aumentar a vida de sua máquina. Antes de tudo, vale lembrar que não é necessário que o câmbio esteja na posição neutra.

Porém, para ligar, o ideal é que o câmbio esteja no neutro para que o motor de partida se encarregue só com o peso do motor. Esperar a checagem da ignição e manter o farol apagado são outras dicas importantes na hora de dar a partida.

No momento em que desligar a moto, fique atento: se o motor estiver muito quente, aguarde alguns segundos em marcha lenta antes de desligar.

Fonte: Revista Duas Rodas

Sem o filtro de ar a moto anda mais?

terça-feira, dezembro 22nd, 2009

Muitas dúvidas pairam sobre esta questão e a resposta é sim, porém esta pratica pode ser muito prejudicial a moto, principalmente ao motor.

Quando ocorre uma maior transmissão de ar que por consequência se mistura ao combustível e gera sérios filtroarmktoproblemas à moto. E quem “barra” esta entrada de ar é justamente o filtro, que é responsável por enviar todo o ar que entra no carburador. Outra função importante é alimentar o motor sem deixar faltar ar.

Então concluímos que é melhor deixar o filtro onde está, além disto é preciso estar sempre de olho no desgaste do mesmo. Quando o filtro de ar está no fim de sua vida útil ou muito sujo, ele impede que o ar entre no motor com a velocidade devida, e a moto começa a funcionar com pouco ar e o motor, incorretamente, gerando problemas e até mesmo um consumo de combustível maior.

Fonte: Motovrum

Garinni GR 250 T3

quarta-feira, dezembro 9th, 2009

garrini

A Garrini, de origem chinesa, se inspira na Harley-Davidson Heritage Classic para criar sua máquina, a Garinni GR 250 T3.As semelhanças ficam por conta do painel de instrumentos sob o tanque, para-brisa, faróis auxiliares, bolsas laterais, pedaleiras plataforma e encosto para o garupa. Mas as similaridades param por ai.

O painel de instrumentos informa velocidade e conta com hodômetros parcial e total. Além disso possui os comandos que ficam nos punhos. A partida é feita por controle remoto e alarme.

Ficha Técnica: Garinni GR 250 T3

Motor: OHC, 247 cm³, dois cilindros em “V”, quatro tempos, refrigerado a ar.
Potência: 24,1 cv a 8000 rpm.
Torque: 1,60 kgfm a 6000 rpm.
Alimentação Carburador: partida elétrica
Câmbio: Cinco velocidades com transmissão por corrente.
Quadro: Tubular com berço duplo em aço.
Suspensão: Dianteira por garfo telescópico; traseira com duplo amortecedor, com regulagem na pré-carga da mola. Freios: Disco simples de 260 mm de diâmetro na dianteira; disco simples de 120 mm de diâmetro na traseira.
Pneus e rodas: 110/90 - 16″(dianteira); 130/90 - 16″ (traseira).
Dimensões: 2.160 mm (comprimento), 750 mm (largura), 1.100 mm (altura); 150 mm (distância do solo).
Peso: 140 kg.
Tanque: 12,9 litros.
Cor: Preto/prata.

Fonte: UOL