Posts Tagged ‘óleo’

Por que motos consomem mais óleo que carros?

sexta-feira, agosto 30th, 2013

osmotoca

Motoqueiro de plantão, vamos a uma verdade que alguns insistem em negar: motos e carros funcionam de modo muito diferente. Apesar de seus motores serem análogos, existe outra ciclística, outra lógica, outra anatomia e etc.

Dentre uma das diferenças, está a função do óleo. Nas motocicletas, o óleo tem, no mínimo, duas funções: garantir funcionamento de motor e câmbio. Nos automóveis, existe um óleo para o motor e outro para o sistema de câmbios, nas motos, não.

Em motocas refrigeradas a ar, o óleo tem a função extra de auxiliar a refrigeração do motor. Por isso que, proporcionalmente, as motos consomem mais óleo que os carros: ela armazena menos quantidade e utiliza pra mais funções.

Aproveitando a deixa, vale um puxão de orelha para os desatentos. A verificação do nível de óleo da moto deve ser rotina e a troca deve ser feita sempre que necessário, não é preciso aguardar chegar à data limite estipulada pelo fabricante. A data limite não tem esse nome à toa: é limite! A partir daquela data, a chance do óleo estar vencido é muito maior.

Fique atento para dar vida longa a sua companheira. ;)

Até a próxima.

O que precisamos saber sobre troca de óleo para motos

terça-feira, outubro 9th, 2012

09-10-2012-1

Este é um assunto rondado de mitos. “Tem que trocar toda semana” e “na metade do que o fabricante indica” são alguns dos mais comuns. Mas vamos tentar esclarecer algumas coisas.

Primeiro, vamos saber de onde vem essa neura de trocar o óleo da moto a todo o momento. Isso é uma herança lá dos anos 80, quando os óleos duravam muito menos. Acontece que, assim as motos, a tecnologia dos óleos evoluiu muito. Tanto em viscosidade quando as especificações da API (American Petrolian Institute) estão mais seguros e melhores. Hoje, um óleo de qualidade dura cerca de seis meses depois de sair da embalagem.

Uma moto pequena, como a Yamaha 125cc Factor, o manual do proprietário recomenda a troca a cada 3000 km, exceto a primeira que deve ser feita com 1000 km. Motos maiores ficam mais tempo sem a necessidade da troca.

De fato, a melhor coisa a se fazer é consultar o manual do proprietário e, se ainda tiver dúvidas, ir a uma oficina autorizada e conversar com o pessoal.

Uma recomendação é, mesmo quando não estiver na época de troca, ficar de olho no nível do óleo. Se estiver baixo, complete co o mesmo óleo utilizado. É importante que seja o mesmo óleo, pois outro fluido, em contato com o anterior, pode fazer com que o óleo perca suas garantias.

Outro ponto importante é JAMAIS utilizar óleo para carros em motos. As características são bem diferentes. Por isso que existem óleos próprios para motocicletas.

Portanto, siga as recomendações do fabricante em relação ao tempo e ao óleo a ser utilizado na moto. Aproveite para verificar se é necessário substituir os filtros na hora da troca. Trocar o óleo da motocicleta toda semana é uma grande perda de dinheiro, além de gerar resíduos poluentes desnecessários.

Fiquem de olho. Bom senso sempre nos cuidados com a sua motocicleta.

Até a próxima.

Suzuki convoca recall de moto GSX-R750

quarta-feira, julho 7th, 2010

gsxr750

Na última quarta feira (30/06) a Suzuki convocou um recall para seu modelo GSX-R750 - ano e modelo 2011.

Segundo a representante da marca no Brasil, J. Toledo Suzuki, o chamamento acontece para a inversão de montagem do selo mecânico. A medida acontece para evitar possíveis vazamentos de óleo.

Os proprietários deverão comparecer a uma concessionária para a realização gratuita do reparo.

Confira os chassis envolvidos:

De 9CDGR7LAJBM105241 a 9CDGR7LAJBM105475 .

Fonte: Auto Esporte

BMW convoca recall mundial de 122 mil unidades

sexta-feira, maio 21st, 2010

bmwcall

A BMW convoca seu segundo recall de 2010. As motos envolvidas são dos modelos R 1200 GS, R 1200 GS Adventure, R 1200 RT e K 1200 GT, fabricados entre agosto de 2006 e março de 2008.

Segundo a empresa cerca de 122 mil unidades no mundo todo devem ser verificadas devido ao risco de vazamento lento e gradativo de fluído dos dutos.

Se a máquina estiver com este problema corre-se o risco de sofrer perda de pressão e, eventualmente, falha do freio dianteiro.

Os chassis envolvidos são:

ZU-06-313 a ZU-98-580, ZU-48-779 a Zu-99-376, ZR-57-884 a ZW-94-790, ZN-71-658 a ZU-97-506.

Para mais informações ligue para 0800-707-3578 ou acesse www.bmw-motorrad.com.br.

Fonte: Terra

Mantenha a moto sempre arrumada

segunda-feira, setembro 14th, 2009

Estudo realizado pela Abraciclo apontou que 90% das motos em circulação na capital paulista apresentam alguma necessidade de manutenção.

Segue então algumas dicas que devem ser inspecionados periodicamente para que sua moto funcione sempre com 100% de segurança.

Corrente: A corrente é responsável por transmitir o torque, ou seja, a força gerada pelo motor às rodas. Contudo, a necessidade da corrente é apenas a lubrificação, que deve ser feita a cada 500 km. O lubrificante mais recomendado para fazer a lubrificação é óleo do tipo 90, que é bem grosso.

Freios: Quando for a tambor a manutenção é mais simples e mais em conta. Como ele não se ajusta automaticamente é muito importante sempreoleo manter ajustado a folga do cabo ou do varão de acionamento do freio. No modelo a disco, por ser hidráulico ele se auto-ajusta, mas é preciso conferir sempre o nível de fluido do reservatório, geralmente no guidão.

Óleo do motor: O ideal é trocar o óleo do motor da motocicleta a cada 3.000 km, sempre em conjunto com o respectivo filtro. Em alguns modelos de baixa cilindrada o fabricante recomenda a troca entre 1.000 km. Por isso é recomendável sempre seguir as instruções do manual do proprietário.

Bateria: Ao menos uma vez a cada seis meses o nível da água da bateria deve ser verificado. Alguns indícios podem denunciar a falta de solução na bateria, como por exemplo, quando o farol enfraquece em marcha lenta e fica forte ao acelerar, ou então quando o pisca é acionado e a luz em geral pisca junto

Carenagem e suportes: Se a sua moto tiver carenagem é fundamental fazer um reaperto ao menos a cada dois meses, pois a vibração do motor tende a afrouxar os parafusos. O mesmo cuidado deve ser estendido para os suportes em geral, como por exemplo, um porta-bagagem, painel e acessórios variados.

Fonte: G1

Segurança básica

quinta-feira, fevereiro 5th, 2009

Algumas dicas de segurança básica.

Ande sempre equipado: proteção para os olhos, mãos, pés, tornozelos, joelhos e cotovelos, sem falar no capacete.

Farol aceso o tempo todo, seja dia ou noite: A 40 metros de distância a motocicleta pode sumir do campo visual do motorista, até mesmo atrás do tercinho pendurado dentro do carro. O farol da moto aceso ajuda a tronálo mais visível.

Concentração é fundamental: Sempre esteja atento, a pressa, o nervosismo, o cansaço e o álcool atrapalham a concentração. Se está pilotando se concentre nisso e esqueça do resto.

Pilote de forma defensiva: Dirija por você e pelos outros, tente antecipar-se em relação aos erros alheios e demais riscos.

Desenvolva o autocontrole: Adrenalina é legal, mas tem seu lugar certo, como um circuito próprio para altas velocidades.

Identifique as armadilhas do solo: Piso molhado, areia solta, buracos, e óleo na pista provavelmente será um grande problema. Nas curvas o campo de visão é menor, então sempre preste atenção ao solo.

Olhe para a frente: não desvie seu olhar para outdoor, mulheres, paisagem ou para conversar com o garupa. Pois em fração de segundos tudo pode mudar e você se acidentar.

Assaltos, um perigo a mais: Quando estacionar, procure escolher locais menos vulneráveis e use algum dispositivo anti-furto na moto como um rastreador.

Abraço!

Fonte: Moto Esporte

Dicas para troca de óleo de sua moto

quarta-feira, novembro 5th, 2008

Por existir grandes diferenças entre carros e motos, além das obvias têm-se as internas, como por exemplo, o sistema de lubrificação.

Enquanto o carro possui um lubrificante para o motor e outro para a caixa de transmissão, a moto possui um único lubrificante para os cilindros, pistões e a caixa de marcha.

Para uma embreagem úmida, as motos necessitam de uma composição mista sem redutores de atrito como os utilizados nos carros, caso contrário à embreagem da moto patinaria.

A combinação de óleo e ar no caso da refrigeração, afinal quando bem resfriado o motor trabalha na temperatura certa, evitando um desgaste excessivo dos componentes.

Isto devido a outro fator, que difere carro de moto, já que a potência máxima de um carro chega a 4.000 rpm e de uma moto 7.000 rpm, isto faz com que a moto possua uma temperatura mais alta, por isto da refrigeração mista e de um óleo robusto e resistente.

Outra diferença entre eles, é no volume de óleo, em um carro pode chegar até quatro litros, quando em uma moto menor não chega nem a dois litros.

Quando se fala de utilização correta de óleo para motos, deve sempre seguir a recomendação dos fabricantes, pois não adianta seguir as normas API (SF, SG) que são para carro, e sim a de ‘Jaso’, norma japonesa feita exclusiva para motos, que se você segue corretamente o manual não há como errar.

Verifique o óleo periodicamente, afinal cada moto tem seu tempo um tanto quanto particular, devido como ela é usada.

Se utilizar muito em estradas de terra o período de troca diminui devido à poeira, então se for possível verificar toda semana e completar quando necessário é o mais indicado.

Não podendo esquecer que, para um melhor funcionamento do sistema de lubrificação, deve-se trocar o filtro de óleo e o filtro de ar, nos intervalos indicados para evitar que partículas sólidas se acumulem no motor.

Para uma melhor fixação, 5 dicas rápidas.

1- Nunca usar óleo de carro em sua moto.

2- O óleo certo para sua moto, é o indicado pelo fabricante.

3- Verificar o nível do óleo periodicamente

4- Há condições severas, como andar em estradas de terra, diminuir os intervalos de troca de óleo.

5- Sempre que trocar o óleo faça uma revisão nos filtros de óleo e de ar, e substitua-os se necessário.

Fonte: Uol