Posts Tagged ‘troca’

Escapamento esportivo

segunda-feira, maio 10th, 2010

Item essencial para o funcionamento das motos, o escapamento além de seu caráter funcional é um “acessório” que ajuda a deixar a máquina mais bonita. Mas será que vale a pena modificar a moto colocando uma saída esportiva?

Para tirar uma conclusão é necessário analisar o funcionamento do escapamento. Falando de uma maneira simples, sem ser nada científico, podemos falar que depois da combustão interna o que restou da detonação dentro da câmara (os gases) precisa ser expelido, e quem faz isto? O escapamento, ele que permite que os gases sejam jogados para foraescapaesporte da moto.

Se o que restou da mistura ar-combustível tiver dificuldade para sair, o motor trabalha com menos desempenho. Por outro lado, se as saídas estiverem totalmente liberadas, o motor fará um esforço desnecessário.

Estes fatores devem ser levados em conta na hora de fazer a escolha, porque se for levar em consideração o preço a saída esportiva acaba sendo até mesmo mais barata que a original - isto sem contar que pode aumentar o valor da moto na hora da revenda.

Qualquer moto pode ter um escapamento esportivo, seja de alta ou baixa cilindrada, 2 Tempos ou 4 Tempos. Para manter o produto em ordem é importante seguir as orientações do fabricante e, de preferência, realizar a instalação em uma oficina qualificada.

Fonte: Motovrum

A hora de trocar os pneus

sexta-feira, abril 30th, 2010

Trocar os pneus é aparentemente uma tarefa fácil mas é necessário ficar atento a alguns cuidados básicos para aumentar a durabilidade e manter seu pneu em ordem para não correr risco de acidentes.

pneumotoPrimeiro é importante ficar atento as especificações da fabricante para trocar os pneus, mas normalmente eles seguem a seguinte orientação - desde que sejam originais de fábrica:

1-) Motos esportivas: 10.000 km
2-) Motos Custons: 12.000 km

Vale lembrar que isto é uma orientação, se os pneus já estiverem praticamente sem frisos na faixa central ou que a moto está instável (mesmo estando calibrado) significa que é hora de trocar

Chegado o momento da troca, de preferência a fazê-lo em uma máquina de montagem, esta regra acentua-se ainda mais se as rodas forem raiadas. De preferência utilize o mesmo modelo de pneu que veio da fábrica.

E atenção, se o pneu for novo é sempre importante dar uma “lixada” nele antes de utilizar para retirar a camada de cera. Para fazer isto é simples:

1-) Dianteiro: Use uma lixa grossa de qualquer tipo e passe em toda banda de rodagem
2-) Traseiro: Em uma área de areia ou cascalho fino e dê uma patinada com no mínimo duas voltas no pneu.

Fonte: G1

Alinhamento e balanceamento garante segurança ao motociclista

quarta-feira, dezembro 23rd, 2009

Aros amassados, raios frouxos, desgaste prematuro dos rolamentos do cubo da roda e até uma queda da motocicleta são fatores que causam obalanceamento desalinhamento das rodas.

Este desalinhamento gera vibrações desagradáveis no guidão, desgaste prematuro nos pneus, dificuldades em fazer curvas. Estes fatores juntos (ou separados), dificultam muito a pilotagem e podem causar um terrível acidente.

Para evitar estas situações é de extrema importância que você faça as revosões preventivas e mantenha a moto sempre balanceada e alinhada, sendo que o alinhamento e balanceamento das rodas devem ser feitos principalmente na hora da troca do pneu ou quando algum dano for constatado.

Fonte: Infomoto

Dicas para troca de óleo de sua moto

quarta-feira, novembro 5th, 2008

Por existir grandes diferenças entre carros e motos, além das obvias têm-se as internas, como por exemplo, o sistema de lubrificação.

Enquanto o carro possui um lubrificante para o motor e outro para a caixa de transmissão, a moto possui um único lubrificante para os cilindros, pistões e a caixa de marcha.

Para uma embreagem úmida, as motos necessitam de uma composição mista sem redutores de atrito como os utilizados nos carros, caso contrário à embreagem da moto patinaria.

A combinação de óleo e ar no caso da refrigeração, afinal quando bem resfriado o motor trabalha na temperatura certa, evitando um desgaste excessivo dos componentes.

Isto devido a outro fator, que difere carro de moto, já que a potência máxima de um carro chega a 4.000 rpm e de uma moto 7.000 rpm, isto faz com que a moto possua uma temperatura mais alta, por isto da refrigeração mista e de um óleo robusto e resistente.

Outra diferença entre eles, é no volume de óleo, em um carro pode chegar até quatro litros, quando em uma moto menor não chega nem a dois litros.

Quando se fala de utilização correta de óleo para motos, deve sempre seguir a recomendação dos fabricantes, pois não adianta seguir as normas API (SF, SG) que são para carro, e sim a de ‘Jaso’, norma japonesa feita exclusiva para motos, que se você segue corretamente o manual não há como errar.

Verifique o óleo periodicamente, afinal cada moto tem seu tempo um tanto quanto particular, devido como ela é usada.

Se utilizar muito em estradas de terra o período de troca diminui devido à poeira, então se for possível verificar toda semana e completar quando necessário é o mais indicado.

Não podendo esquecer que, para um melhor funcionamento do sistema de lubrificação, deve-se trocar o filtro de óleo e o filtro de ar, nos intervalos indicados para evitar que partículas sólidas se acumulem no motor.

Para uma melhor fixação, 5 dicas rápidas.

1- Nunca usar óleo de carro em sua moto.

2- O óleo certo para sua moto, é o indicado pelo fabricante.

3- Verificar o nível do óleo periodicamente

4- Há condições severas, como andar em estradas de terra, diminuir os intervalos de troca de óleo.

5- Sempre que trocar o óleo faça uma revisão nos filtros de óleo e de ar, e substitua-os se necessário.

Fonte: Uol